Categorias
Europa

Curiosidades sobre o Reino Unido

O Reino Unido é um país repleto de história e com uma diversidade étnica e cultural abismal. Não só devido à emigração, mas também devido aos povos nativos dos quatro estados que fazem parte do país. As diferenças são de tal forma significativas que cada um desses estados merecem um artigo individual. Mas visto que fazem todos partes do mesmo país, abaixo estão algumas curiosidades sobre o Reino Unido.

Bandeira do Reino Unido

Capital: Londres
Idiomas oficiais: Inglês (nacional), língua ânglica escocesa, scots de Ulster, galês, córnico, língua gaélica escocesa, irlandês
Moeda: Libra esterlina [ £ ]
Fuso horário: UTC / UTC+1 (verão), igual a Portugal
Área total: 242 495 km2
População: 67 886 004
Condução: à esquerda
Clima: grande parte do Reino Unido tem um clima temperado, com temperaturas baixas e muita precipitação durante o ano todo. As temperaturas variam entre os -20ºC e por vezes até acima dos 35ºC. Algumas zonas do norte de Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte e a grande parte da Escócia têm um clima oceânico sub-polar. As zonas mais altas da Escócia têm um clima continental sub-ártico.

Um pouco da história do Reino Unido

A história do Reino Unido é bastante complexa e vem bem antes da união (obviamente). Para dar o devido destaque a cada um dos estados, abaixo vou contar um pouco da história de cada um desses estados e da união.

Um pouco da história de Inglaterra

Vulgarmente (e erradamente) refere-se ao Reino Unido como Inglaterra. A Inglaterra é apenas um dos quatro estados que fazem parte da união de reinos. Também é onde fica a capital, Londres, daí a confusão e a referência errada quando se refere ao país.

Guardas reais em Londres
Guardas reais em Londres

A história de Inglaterra vem desde os tempos pré-históricos, sendo Stonehenge um dos monumentos mais famosos do mundo e representativos desta época. As ilhas britânicas são habitadas continuamente desde a pré-história e já passaram por várias invasões de variados povos.

As invasões romanas foram as mais significativas, em que a dada altura chegaram a estabelecer a província de Britânia no que é hoje em dia a Inglaterra. O poder bélico e de engenharia dos romanos era claramente superior e com isto conseguiram estabelecer uma presença bastante forte na região. Foram também os romanos que fundaram cidades como Londres. A influência romana também foi bastante forte na cultura religiosa, onde introduziram a religião católica e quase extinguiram a cultura dos deuses celtas. Quando os romanos deixaram a zona, o cristianismo já estava bastante forte na comunidade.

Booking.com

Após os romanos, foram os anglo-saxões a invadir a ilha por volta do século V, com invasões por várias décadas. Durante esta época, a população do Reino Unido diminuiu consideravelmente, muito devido à peste e à varíola.

Pelo final do século VIII, foi a vez dos vikings invadirem a ilha e controlarem a grande maioria dos reinos da área que é hoje a Inglaterra. A certa altura, apenas o reino de Wessex restava sob o controlo de um rei inglês. E foi a partir daí que, no século seguinte, com sucessivas expansões, se chegou à área que conhecemos hoje por Inglaterra.

Um pouco da história do País de Gales

À semelhança de Inglaterra, os romanos também chegaram ao País de Gales, existindo ainda vestígios destas ocupações. O anfiteatro romano em Caerleon é o mais bem preservado em todo o Reino Unido.

No entanto, ao contrário da vizinha Inglaterra, o País de Gales nunca foi conquistado pelos anglo-saxões e, por isso, conseguiram preservar a lingua galesa e a sua cultura.

Perspectiva das pedras em Stonehenge
Perspectiva das pedras em Stonehenge

A conquista do País de Gales pela Inglaterra foi gradual, desde 1066 até 1282 quando o rei Eduardo I de Inglaterra invadiu o país e derrotou em batalha o último príncipe independente do País de Gales. O país foi legalmente anexado pelo Decreto de União de 1536, durante o reinado do rei Henrique VIII de Inglaterra.

O titulo de Príncipe de Gales (Prince of Wales em ingles, Tywysog Cymru em galês) era o título que os príncipes nativos galeses tinham até ao século XII sendo posteriormente substituído pela palavra rei. Depois da batalha onde um dos últimos príncipes galés morreu, Llywelyn ap Gruffudd, o rei Eduardo I de Inglaterra deu o título ao seu filho Eduardo como o primeiro Príncipe de Gales inglês.

Booking.com

Desde o século XIV que o título é dado pelo rei ou rainha ao herdeiro aparente à monarquia Inglesa ou Britânica. O facto deste título não ser dado não impede os direitos de sucessão.

Um pouco da história da Escócia

O que muitos sabem da história da Escócia deve-se a filmes como Braveheart ou séries sobre as lutas de independência e soberania do país. Até nos últimos anos se tem falado muito sobre a independência da Escócia. Mas será que foi sempre assim?

Na verdade, a consolidação do reino da Escócia começou com laços entre os dois reinos. Com vários casamentos entre membros das famílias reais, que mantiveram as relações entre os dois reinos. Até que, em 1286 com a morte do rei Alexandre III, um problema adormecido acordou. Como os dois herdeiros do rei também já tinham morrido, a disputa pela coroa escocesa colocou a soberania do país em causa.

Fotografia de uma vaca das Terras Altas da Escócia
Fotografia de uma vaca das Terras Altas da Escócia

Em 1306, Robert Bruce, um dos pretendentes ao trono escocês, revoltou-se contra o domínio inglês e fez-se coroar rei da Escócia. Mas só em 1328 a Inglaterra reconheceu o reino Escocês. Robert Bruce morreu no ano seguinte. O seu filho, David II, foi o primeiro rei escocês ungido e coroado. As guerras entre a Escócia e a Inglaterra sobre o domínio do território continuaram.

Uma das histórias mais conhecidas do reino da Escócia é de Mary Stuart, a rainha dos Scotts. Nascida em 1542, uma semana antes do falecimento do seu pai, o rei Jaime V. Devido a alianças com a coroa francesa, Mary foi prometida (e mais tarde casou) com o então herdeiro da coroa francesa.

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

Devido a movimentos pró-protestante, e visto que a Escócia ainda era católica e Mary era viúva com um rei católico, ao regressar à Escócia para reinar encontrou um país muito hostil para com França e a religião católica. Mary competia com os direitos à coroa inglesa, e como tal, a rainha Isabel I de Inglaterra temia a sua pretensão. Após um curto reinado cheio de incidentes, acabou sendo capturada e mais tarde executada a mando da rainha Elisabete I.

O seu filho, Jaime VI, por ter pretensões ao trono inglês (e escocês) evitou desagradar à coroa inglesa mesmo após a execução da sua mãe. Mais tarde subiu ao trono como Jaime I de Inglaterra.

Um pouco da história da Irlanda do Norte

Este pequeno estado, na ilha do lado, tem uma história bastante conturbada e recente. Tão recente que ainda faz parte das gerações actuais.

A Irlanda do Norte foi palco de vários conflitos bastante recentes de nacionalismo irlandês. Mas a sua história de nacionalismo já vem desde os tempos das ocupações da rainha Isabel I e Jaime I noutras partes da ilha. A zona da Irlanda do Norte tornou-se no principal aglomerado de acampamentos escoceses aquando o êxodo do governo nativo escocês e da elite da Escócia, o Flight of the Earls.

Calçada dos Gigantes na Irlanda do Norte
Calçada dos Gigantes na Irlanda do Norte

Os conflitos terminaram, no entanto, ainda existe alguma tensão entre nacionalistas e “unionistas”. Em certas partes do país, nomeadamente em alguns bairros de Belfast, é frequente vermos bandeiras seja da Irlanda ou do Reino Unido a decorar ruas.

Um pouco da história da formação do Reino Unido

Os pequenos detalhes que referi anteriormente basicamente explicam como o Reino Unido foi formado. Enquanto que o País de Gales e a Irlanda foram conquistados, sobrando apenas a Irlanda do Norte como parte do reino hoje em dia. Já no que diz respeito à Escócia, apesar de depois de James I de Inglaterra (VI da Escócia) ser o rei de ambos os reinos, a união entre reinos só se tornou de facto 100 anos depois.

Algumas curiosidades sobre o Reino Unido

  1. Chá é, de longe, a bebida mais consumida entre os britânicos. Estima-se que em média se bebem 165 milhões de chávenas de chá por dia.
  2. Londres tem uma concentração abismal de nações e culturas diferentes, estimando-se que mais de 300 idiomas sejam falados na capital inglesa.
  3. O primeiro selo foi criado no Reino Unido em 1840, com a imagem da Rainha Victória.
  4. Mais antigo que as pirâmides do Egipto, Stonehenge é um dos monumentos mais antigos do mundo.
  5. O desporto golf foi criado na Escócia em 1457, sendo considerado como um desporto nacional. O desporto foi tão popular que o Rei James II baniu-o porque estava a afectar os treinos do exército.
  6. A Grã-Bretanha está ligada ao resto da Europa pelo Túnel do Canal. Com uma extensão de 21 milhas, este é o segundo maior túnel subterrâneo do mundo, conectando Dover a Calais em França.
  7. A Rainha Elisabete II subiu ao trono em 1953 e em 2015 tornou-se na rainha há mais tempo no trono em todo o mundo.
  8. A guerra mais curta do mundo demorou 38 minutos entre o Reino Unido e Zanzibar.
  9. O passaporte Britânico é emitido em nome da rainha, como tal, ela não tem um. A rainha já visitou mais de 100 países sem nunca ter um passaporte.
  10. A Universidade de Oxford é a mais antiga do mundo. Até 1877 os seus professores não podiam casar.
  11. A localidade com o nome mais longo do mundo fica no País de Gales, e tem como nome Llanfairpwllgwyngyll.
  12. A bandeira do Reino Unido, chamada como Union Flag ou Union Jack, representa a fusão das bandeiras da Inglaterra, Escócia e São Patrício (que representa a Irlanda). O País de Gales não está representado na bandeira, ainda que seja um dos 4 países da União.
  13. O Reino Unido tem 15 Parques Nacionais, que cobrem uma área de cerca de 8% do Reino Unido.
  14. Inglaterra não tem montanhas acima dos 1000 metros.
  15. O Reino Unido tem a 17ª maior rede ferroviária do mundo.
  16. Durante quase 300 anos francês foi idioma oficial no Reino Unido (entre 1066 e 1362).
  17. Cerca de 3000 palavras da língua inglesa foram criadas por Shakespeare.
  18. Durante o século XVI, o rei criou um imposto para toda a gente que tinha uma barba…

Qual a melhor altura para visitar o Reino Unido?

Devido ao clima quase constante, qualquer altura do ano é uma boa altura para visitar o Reino Unido. A grande desvantagem do inverno são os dias mais curtos, mas mesmo o frio é tolerável. Mas visto que o país é composto por quatro estados, então fica a sugestão para cada um deles.

Qual a melhor altura para visitar a Inglaterra?

É um facto que a Inglaterra é bem mais do que Londres, mas a capital é, sem sombra de dúvidas, o local mais popular no país todo. A época alta é no verão, entre maio e setembro, e nas férias do Natal.

Booking.com

A minha sugestão passa por evitarem esta altura, a primavera e o outono são épocas bastante boas e por norma mais baratas. E porque não explorar um pouco mais do país e ir conhecer alguns locais no sul?

Qual a melhor altura para visitar o País de Gales?

Ao contrário de Inglaterra, bem mais conhecida pela capital, no País de Gales a natureza é rainha! Como tal, o tempo é um factor bastante importante a ter em conta.

Curiosidades sobre o Reino Unido
Curiosidades sobre o Reino Unido

Se o objectivo é fazerem caminhadas e explorar o que o País de Gales tem para oferecer, então a minha sugestão é irem logo no início do verão. Nesta altura terão a oportunidade de ver ainda muitas flores silvestres e maiores probabilidades de dias solarengos.

Se procuram mais as cores douradas do outono então esta época também é uma boa aposta. É também esta a época das colheitas, portanto até podem provar alguns produtos bem frescos.

Qual a melhor altura para visitar a Escócia?

Aqui o frio já é algo a ter bastante em conta. Os invernos são mais rigorosos, mas também, por ser tão a norte, podem ter a sorte de poderem observar as auroras boreais.

Em contrapartida, no verão têm a vantagem de terem dias mais longos do que no sul da ilha. O sol chega a pôr-se depois das 10 da noite!

Booking.com

À semelhança de Inglaterra, a Escócia também tem uma cidade bastante popular. Edimburgo. Como tal, o verão é a época alta o que faz os preços subirem, e também mais turistas. Mas se o vosso objectivo é saírem da cidade, então o verão é capaz de ser mesmo a vossa melhor aposta. Mais turistas, mas também dias mais longos e provavelmente mais solarengos.

Qual a melhor altura para visitar a Irlanda do Norte

À semelhança da Escócia, a Irlanda do Norte também goza de longos dias durante o verão. O que faz desta altura do ano uma altura bastante popular para visitar este pequeno estado do país.

A ponte de cordas em Carrick-a-Rede
A ponte de cordas em Carrick-a-Rede

A capital é Belfast, que em 2018 foi votada como o melhor local a visitar. E não é à toa, é uma cidade bastante interessante e cheia de história. Sabiam que o Titanic foi construído lá?

Se querem fugir à época alta, então o outono é também uma boa altura para visitarem. E sempre podem sair do país e explorar um pouco mais do resto da ilha.

Itinerários recomendados e artigos sobre o Reino Unido

Por Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.