Categorias
Europa

A Ilha de Skye, explorar uma das pérolas da Escócia

Uma visita à Escócia fica incompleta se não nos aventurarmos pela zona do campo. É certo que cidades como Edimburgo e Glasgow são bonitas, e muito interessantes, mas é no campo que ficamos a conhecer a Escócia. Um dos pontos de interesse mais visitados é a Ilha de Skye, uma das maiores ilhas do país (região) e com imensos locais lindos para visitar.

Um dos erros que muitos viajantes cometem quando planeiam um passeio à ilha de Skye é pensarem que um dia basta. A ilha é grande! E além de ser grande, tem mesmo muito para visitar. Eu estive dois dias na ilha e não deu para visitar muitos dos sítios que estavam nos meus planos. Além do tempo que passamos a aproveitar devidamente um local, há o tempo de viagem até lá chegar. Portanto, um dia não chega mesmo! Dois dias? Talvez a correr…, mas sinceramente acho que a ilha merece pelo menos 3 dias para conhecer alguns dos pontos principais devidamente.

10 locais na Ilha de Skye a visitar

Esta lista apenas enumera 10 locais a visitar, mas existem muitos mais. Ainda assim, visitar 10 locais ainda requer algum tempo, há que planear a viagem de antemão, e decidir o que se quer fazer.

Castelo Eilean Donan

O primeiro local a visitar até fica fora da Ilha de Skye, na verdade. Este castelo fica num pequeno ilhéu mesmo a caminho da Ilha de Skye e está nesta lista pela sua importância na zona e da grande conexão com as ilhas daquela parte da Escócia.

Vista para o Castelo Eilean Donan
Vista para o Castelo Eilean Donan

Durante os vários séculos, este castelo expandiu e encolheu de tamanho. Sim, “encolheu”, foram tais as mudanças que a certa altura o castelo chegou a ocupar a área toda do ilhéu, mas, com tantas alterações, acabou por ser reduzido ao tamanho que vemos hoje.

Para os amantes dos filmes do 007, este é um local a visitar pois fez parte do cenário do filme James Bond – The World Is Not Enough. É quase impossível não o ver quando se vai a caminho da Ilha de Skye, e como tal um ponto de paragem recomendado.

Mergulhar a cabeça no Rio Sligachan

Sim, o título está correcto. Estou mesmo a sugerir mergulhar a cabeça num rio. Okay, na verdade não estou a sugerir nada, nem eu sequer fiz isso. Mas isto é mais uma das lendas da Escócia e que levam os turistas a fazerem coisas um pouco estranhas… Aposto que os locais se divertem imenso ao verem os turistas fazerem isto.

Existem duas lendas que suportam esta teoria. A primeira envolve dois guerreiros, uma mulher e um homem. A mulher guerreira vivia na Ilha de Skye e a sua reputação chegou aos ouvidos de um dos melhores guerreiros da Escócia, que decidiu desafiá-la para provar a sua reputação. A luta foi tão violenta que criou algum dos vales e montanhas da Ilha de Skye e até os animais fugiram da ilha.

A filha da guerreira, com tanto medo de que a mãe não conseguisse vencer, entrou em desespero e foi chorar para o rio. Conta a lenda que as águas servem de portal entre o mundo das fadas e o nosso. Então as fadas ouviram a filha a chorar e visitaram-na. Sugeriram-lhe que lavasse a cara nas águas e que se o fizesse iria obter o conhecimento para parar a batalha.

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

Com este conhecimento, a filha correu para casa, agarrou em algumas ervas e nozes e atirou-as para o fogo, cujo fumo se propagou pelo vale. Assim que ambos os guerreiros sentiram o cheiro aperceberam-se do quão cansados e famintos estavam, então decidiram parar a batalha e foram para casa da guerreira comer.

Quando lá chegaram, a filha da guerreira tinha preparado uma refeição digna de dois grandes guerreiros. Como o guerreiro comeu debaixo do tecto da guerreira, ele passou a ser o seu convidado. E por causa disto, por honra, não poderiam fazer mal um ao outro.

A lenda diz ainda que se ganha beleza eterna quando se mergulha a cara nestas águas. Mas a palavra beleza é aberta a muita interpretação. Porque é que a filha da guerreira não ficou com beleza eterna? Dizem que ela ficou com a beleza interior. Isto são tudo lendas, mas a regra é que devem mergulhar a cabeça por 7 segundos, com a água que passa por debaixo da ponte antiga. A decisão é vossa!

Vila de Portree

A vila de Portree é a maior localidade da Ilha de Skye. Ponto perfeito para pernoitar, mas não só. Existem muitos serviços na vila, até cinema, o que faz desta vila um local interessante para quem quer relaxar após um dia a andar de carro.

Booking.com

Para quem não quer conduzir na Escócia, existe também a alternativa de fazer uma das várias excursões que se podem fazer a partir da vila de Portree. E para lá chegar? Existem autocarros que ligam directamente a Inverness e Glasgow.

Caminhar junto ao Old Man of Storr

O Old Man of Storr é um dos ícones da Ilha de Skye, uma formação rochosa que se vê de bastante longe. A opção de parar o carro e tirar uma fotografia e seguir viagem é a mais popular. Mas, para quem gosta de esticar as pernas, é uma das melhores zonas na ilha para fazer caminhadas e até escalada se forem corajosos para tal.

Old Man of Storr
Old Man of Storr

A partida faz-se desde o parque de estacionamento e é uma caminhada de cerca de 4 km. O caminho de regresso é o mesmo, em vez de fazer um círculo. A caminhada é classificada como exigência média, tanto em distância como em esforço. Há que ter isto em atenção caso se queiram aventurar nesta caminhada. Mas a minha recomendação é que se informem junto do posto de turismo, em Portree, sobre as caminhadas mais adequadas para cada pessoa.

Kilt Rock (Rocha Kilt)

A Ilha de Skye tem mesmo muito para oferecer, como já disse antes. Kilt Rock é uma falésia que faz lembrar o formato de um kilt, daí o nome da falésia.

A falésia é formada por uma quantidade abismal de colunas de basalto, que dão a forma característica da falésia, como que se fossem os folhos de um kilt.

Já várias vidas se perderam naquela falésia, como tal hoje em dia existe uma vedação para proteger de acidentes. Ainda assim, há que ter um cuidado acrescido junto a falésias.

Caminhada por Quiraing

Como já devem ter percebido, caminhadas é o que não falta na Ilha de Skye. E aqui vai mais outra, mas esta um pouco mais exigente…

Aqueles que procuram desafios mais exigentes, a caminhada por Quiraing é uma boa opção, passando por formações rochosas incríveis e com vistas magníficas. E fotógrafos que estão a ler este artigo, este percurso é mesmo para vocês!

Este circuito é circular, cerca de quase 7 km com partida e chegada do parque de estacionamento, e deverá demorar pouco mais de duas horas. Claro, dependendo da quantidade de paragens para descansar e tirar fotografias. De realçar que não é recomendada a caminhada em certas condições atmosféricas, principalmente vento e nevoeiro. O percurso passa por alguns penhascos altos e o vento e a visibilidade reduzida poderão resultar em acidentes fatais.

Fairy Glen (Vale da Fada)

A mitologia era (ou ainda é) muito presente na cultura gaélica. Tanto na Irlanda como na Escócia e no País de Gales. Mas particularmente na Ilha de Skye, com muitas lendas sobre fadas e muitas delas relacionadas de alguma forma com o Castelo Dunvegan e a sua bandeira. No entanto, Fairy Glen e Fairy Pools não têm nenhuma lenda conhecida relacionada com fadas, o nome apenas se deve ao facto do local ser tão invulgar.

Uma das colunas continua com o topo intacto, uma estrutura de basalto, que à distância faz lembrar as ruínas de um castelo. Esta ilusão deu origem ao nome de Castelo Ewan (sem origens concretas do porquê do nome) e é possível subir para o seu topo e apreciar as vistas lá de cima.

Praia de Coral

Outro dos locais mais visitados na Ilha de Skye, a praia de Coral. Onde tivemos uma experiência bem molhada… Do estacionamento à praia é exactamente uma milha por um trilho, bastante fácil de lá chegar. No estacionamento tem indicações de que a praia fica a uma milha, e a precisão é grande!

A praia, ao contrário do que o nome indica, não é coral! A “areia” é que basicamente se parece com coral, sendo um tipo de alga seca esmagada que se assemelha muito a coral. Portanto convém irem preparados com chinelos ou outro tipo de calçado, pois vai doer…

Praia de Coral
Praia de Coral

E, claro, atenção ao tempo que na Escócia pode mudar numa questão de minutos. Quando lá fui o caminho até à praia foi bem tranquilo, com sol, e agradável. Estivemos um pouco de tempo na praia a passear e a apreciar o local e quando decidimos voltar começou a chover! Mas a chover de tal forma que quando chegámos ao carro estávamos completamente ensopados…

Existe uma pequena ilha a cerca de 150 metros da praia, que em maré baixa é possível lá chegar a pé. Uma pequena “duna” de coral torna possível o caminho até à ilha.

Fairy Pools (Piscinas das fadas)

Mais outro local em que para o visitar há que ter em conta o tempo…, e sim, mais outra história em como fiquei completamente ensopado por não estar minimamente preparado. Dois “banhos” de chuva no mesmo dia, daqui tive de entrar no alojamento de calções e botas, as únicas coisas que ainda tinha secas comigo. Não sejam como eu e levem algo para vos proteger da chuva!

Pequenas cascatas em Fairy Pools
Pequenas cascatas em Fairy Pools

Mas voltando às Fairy Pools, este local é um conjunto de pequenas cascatas e lagos de uma água bem azul. O trilho completo é de cerca de 5 km desde o parque de estacionamento, com algumas passagens por riachos. Cuidado também com o calçado, senão podem escorregar e cair… Não, isto não aconteceu comigo!

A cor azulada da água é que deu origem ao nome do local. Dizem que é um azul tão bonito que as fadas devem se banhar ali. Os mais corajosos, que aguentem e gostem de águas mais frias, também podem ali entrar! Quanto aos outros, não faltam oportunidades e locais para tirar fotografias!

Spar Cave (Gruta Spar)

A Spar Cave é uma gruta um pouco complicada de lá chegar, mas impressionante de visitar. Requer algum planeamento prévio e extremo cuidado, pois acidentes acontecem. Mas vale bem a pena a visita, sendo uma das maravilhas da Escócia.

Tendo em conta que para visitar a gruta é necessário que a maré esteja baixa, o planeamento prévio é obrigatório. Senão correm o risco de lá chegar e simplesmente não a poderem visitar. E, claro, convém estar bom tempo, mas visto que se trata da Escócia é sempre uma lotaria adivinhar quando vai estar bom tempo…

A Ilha de Skye, explorar uma das pérolas da Escócia
A Ilha de Skye, explorar uma das pérolas da Escócia

Como muitos locais na Escócia, também esta gruta tem uma lenda associada. O nome em gaélico é “Slochd Altimen”, que numa tradução brusca significa gruta de enfermagem. A lenda conta que uma princesa se apaixonou pelo filho do chefe de um clã rival, que naufragou naquela gruta. Tal como Romeu e Julieta, eles também viveram uma história de amor proibido, que resultou numa gravidez. Sabendo que isso poderia resultar em problemas muito graves dada a rivalidade dos pais dos amantes, a princesa escondeu o bebé na gruta até que a discórdia terminasse.

Este local não tem parque de estacionamento e não é fácil de encontrar. O mais indicado é colocar as coordenadas no GPS e seguir, com muito cuidado, as direcções. A entrada da caverna não é visível, terão de passar por um pequeno canhão. De realçar que para visitar a gruta convém também terem uma lanterna. Senão torna-se ainda mais complicada a visita.

Onde fica e como chegar à Ilha de Skye

A ilha de Skye fica no Oeste da Escócia, a proximidade da ilha com o resto do país é tal que fica ligada por uma ponte. Olhando nos mapas é fácil não se notar de que se trata de uma ilha, no entanto é a segunda maior ilha da Escócia.

Para lá chegar, como sugeri antes, é possível ir de autocarro desde Glasgow ou Inverness. No entanto, a minha sugestão é que aluguem um carro, pois ficarão menos limitados ao tempo e à disponibilidade das excursões.

Conduzir no Reino Unido pode ser um pouco assustador para quem não está habituado a conduzir do outro lado da estrada. Mas a vantagem de se visitar um local remoto é que também existe muito menos trânsito. Sim, existem estradas estreitas, mas em poucas horas irão habituar-se a conduzir do lado errado da estrada.

O melhor mesmo é aproveitarem ao máximo a Ilha de Skye, vale bem a pena e ficam com uma experiência de como é a Escócia a sério.

Já visitaram a Ilha de Skye? Que outros locais recomendam a visitar na ilha?

Por Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

4 comentários a “A Ilha de Skye, explorar uma das pérolas da Escócia”

Nunca imaginei ter vontade de visitar a Escócia mas, depois de toda a magia e das histórias que contou e, óbvio, das paisagens, coloquei no meu check-list mental. Amei e obrigada por criar isso 🙂

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.