Curiosidades sobre a República da Irlanda

Comecemos por dar a resposta à primeira pergunta que alguns de vós pode estar a fazer neste momento. Porquê especificar que se trata de uma República no título do artigo?  Porque a Irlanda é uma ilha dividida por dois países. A República da Irlanda, que descrevo neste artigo, e a Irlanda do Norte que faz parte do Reino Unido.

A história desta divisão é muito conturbada, e já vem de há muitos anos, com lendas à mistura. Mas é algo que é importante ter em conta quando se visita a ilha. Em que numa parte se usa o euro, mas na zona Nordeste se usa a libra esterlina… São pequenos detalhes que podem fazer a diferença entre poupar alguns trocos…

Bandeira da República da Irlanda
Bandeira da Irlanda

Um pouco da história da Irlanda

A história deste país já vem de alguns milhares de anos, e muito em base em clãs ou povos. Existem vários sítios históricos da era Neolítica pela ilha. O Dólmen de Poulnabrone e a tumba Newgrange são dos mais importantes.

A tumba de Newgrande é bastante popular no dia do Solstício de Inverno. Nesse dia o sol entra directamente na porta principal e ilumina a câmara principal da tumba.

Os reinos e clãs

Com o evoluir dos povos, alguns clãs se começaram a formar. E consequentemente alguns grupos de clãs que se formaram em reinos. Apesar da Irlanda ser uma ilha pequena, chegou a estar dividida em 9 reinos. Foram frequentemente invadidos por outros povos, em particular por Vikings e normandos. Durante estas invasões houve muito tráfico de escravos, principalmente para África. Algumas cidades chegaram a ser dizimadas quase por completo. Como foi o caso com Baltimore, no sul da Irlanda.

Booking.com

Duas ilhas sob a mesma coroa

Desde meados do século XVI que a Irlanda ficou sob o controlo da coroa Inglesa, mas não como uma união. O que resultou em constantes guerras e actos de rebelião, e com mais tráfico de escravos. Desta vez pelos ingleses.

Os irlandeses chegaram mesmo a ser considerados como selvagens pelos ingleses. Os prisioneiros eram enviados como escravos para as Caraíbas ou para a Austrália. Na altura a Austrália era como que uma prisão gigante. Grande parte dos seus habitantes eram condenados pela coroa inglesa.

No início do século XIX foi declarada a união do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda. O que supostamente iria acabar com a discriminação religiosa entre protestantes e católicos. O que na verdade nunca chegou a acontecer, pois católicos tinham muito pouco ou nenhum poder de voto.

A grande fome e a emigração em massa

Um dos eventos mais trágicos da história da Irlanda aconteceu em meados do século XIX. A Grande Fome, em que devido a uma praga nas batatas, dizimou quase metade da população da Irlanda. De cerca de 8 milhões, ficou reduzida a cerca de 4 milhões. Com as dificuldades da Grande Fome, houve também muita emigração. O que contribuiu em muito para a grande redução da população da ilha.

A declaração de independência

Estes eventos de discriminação e desigualdade gerou ainda mais insatisfação e rebeliões. Em 1921 a foi ilha dividida em duas partes como distritos distintos. Irlanda do Norte e Irlanda do Sul, ainda parte do Reino Unido. No ano seguinte, com a Guerra da Independência, a Irlanda do Sul declarou independência. Tornando-se assim numa república.

Igreja em Kilkenny
Igreja em Kilkenny

Algumas curiosidades sobre a Irlanda

  1. Os irlandeses bebem em média 131,1 litros de cerveja por ano. Ficando apenas atrás da República Checa.
  2. Os três símbolos mais conhecidos são o trevo, a harpa e a cruz Celta.
  3. O dia das bruxas tem origem em tradições pagãs celtas. Festival das colheitas que comemorava o final do Verão a 31 de Outubro. E que acabou associado ao dia de Todos os Santos, 1 de Novembro. Com os tempos acabou por se fundir como dia das bruxas. “Halloween” tem como base a expressão “All hallows eve”, que se traduz como a Véspera de Todos os Santos.
  4. O idioma ancestral dos irlandeses é o gaélico. Mas hoje em dia apenas cerca de 380 000 se consideram como fluentes.
  5. Muitos apelidos irlandeses começam por “O’” ou “Mac”. Que significam “Filho de” e “Neto de”, respectivamente.
  6. A Irlanda já ganhou 7 vezes o festival da Eurovisão, sendo a recordista até à data.
  7. Não existem cobras na Irlanda. E sendo uma ilha também não tem outros animais comuns na Europa. Como toupeiras, doninhas e furões.
  8. Os segundos penhascos mais altos da Europa fica na Irlanda, na ilha Achill, com uma altura de 688 metros. Os penhascos mais altos ficam nas ilhas Faroé
  9. Um dos faróis mais antigos da Europa ainda em funcionamento – talvez até do mundo – fica no condado de Wexford. Construído em 1172 ou 1245. No entanto o primeiro farol nesse mesmo lugar datava do século V.
  10. O Porto de Cork é o segundo maior porto natural do mundo por área navegacional. No entanto este lugar é contestado pelos portos de Halifax no Canadá e Poole em Inglaterra.
  11. Estima-se que aproximadamente 80 milhões de pessoas com descendência irlandesa vivem fora da Irlanda. Isto é cerca de 14 vezes mais do que a população do país.

Booking.com

Qual a melhor altura para visitar a Irlanda?

Qualquer altura é uma boa altura para visitar a Irlanda. No entanto os meses de verão são bem mais populares. E com isto preços mais elevados. No inverno o frio, chuva e dias curtos reduzem a possibilidade de aproveitar devidamente os dias. Não existe um mês perfeito para visitar o país. Sorte acaba por ser um factor importante, não fosse o trevo um dos símbolos do país.

Os melhores meses para visitar a Irlanda

O tempo na Irlanda é bastante imprevisível, mas raramente extremo. Mesmo no inverno é raro as temperaturas descerem abaixo de zero graus. Em qualquer altura do ano podem ter a sorte de apanhar um dia de sol fantástico. Ou então um dia de chuva para ficar em casa enrolado num cobertor.

Basicamente, preparem-se para a chuva. A sugestão que dou é prepararem-se para uma primavera ou outono constante, seja em que altura do ano for.

Devido à posição geográfica da Irlanda, os meses de verão são excelentes para visitar o país. No norte da Irlanda conseguem mesmo ter dias de sol até às 11 da noite. Em contrapartida, no inverno já é de noite pelas 4 da tarde…

A pior altura para visitar a Irlanda

Não existe uma altura em que diga que seja mesmo má. Até no inverno dá para visitar zonas bem bonitas Mas há certos factores a ter em conta.

No verão existem muitos mais turistas. Em localidades mais pequenas é frequente os alojamentos ficarem sobre-lotados e mais carros. Os preços das viagens para a Irlanda também aumentam consideravelmente. Tal como os preços de alugueres de carros, excursões e afins.

No inferno o frio, ainda que não rigoroso, é um factor a ter em conta. Tal como os dias bem mais curtos. Serão bem mais do que 12 horas de noite por dia, e nas poucas horas de sol existe também a probabilidade da chuva.

De realçar que os feriados na Irlanda são sempre às segundas-feiras. Com algumas excepções, caso de São Patrício, Natal, São Estêvão, Ano Novo. Portanto, há que ter isto em conta quando se marcam férias. Mesmo em época baixa, se viajarem num fim-de-semana prolongado os hotéis podem estar esgotados…

Itinerários recomendados e artigos sobre a Irlanda

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.