Categories
Europa Roteiros e Destinos

25 locais fantásticos na Irlanda a visitar e a explorar

A Ilha Esmeralda, também conhecida como Irlanda (ou será mais ao contrário?), fica mesmo ao lado da Grã Bretanha. Nesta ilha existem dois países, a República da Irlanda e a Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido. É uma ilha lindíssima com muitos locais de beleza de cortar a respiração, e com muito verde para ver, não fosse esse o motivo principal de ser conhecida como Ilha Esmeralda!

Neste artigo vou listar 25 locais que valem bem a pena visitar na Irlanda, na ilha toda! Excelente para quem está a planear uma road trip pela Irlanda e está à procura de ideias sobre o que visitar!

Dublin

Começando pela capital, o destino principal para quem visita a Irlanda. Dublin é sem sombra de dúvidas uma cidade que merece a pena ser visitada, cheia de história e de invasões, desde vikings aos ingleses, e desde sempre considerada como uma cidade importante.

Centro Comercial de Stephen's Green
Centro Comercial de Stephen’s Green

Há muito para visitar em Dublin, e para todos os gostos. A zona de Temple Bar é a mais conhecida entre os visitantes, como o bairro cultural da cidade e um dos mais centrais também. A partir deste bairro dá para chegar, a pé, a quase todos os pontos principais do centro da cidade. Na minha lista de recomendações, a prisão Kilmainham Gaol é um dos locais definitivamente a não perder! A fábrica da Guinness também vale a pena a visita, no entanto é um pouco cara a entrada…

Booking.com

Sendo a capital e a maior cidade do país, não faltam coisas para ver e fazer. Vários museus, muitas igrejas, e muito por onde caminhar. Um dos meus museus preferidos é o Dublinia, que vos levará numa viagem no tempo ao Dublin dos tempos medievais e dos vikings. E para relaxar, porque não passar uma tarde no maior parque urbano da Europa? O Phoenix Park?

Howth

Continuando a viagem em direcção a norte, porque não uma paragem na vila piscatória numa peninsula?

Howth fica ainda no condado de Dublin, no final da última estação do comboio DART (Comboio urbano de Dublin), e é excelente para uma escapatória de um dia para umas caminhadas e aproveitar um pouco de campo bem perto da cidade.

Pontão em Howth
Pontão em Howth

A península é uma das primeiras vistas da Irlanda para quem aterra em Dublin, é fantástico logo lá de cima. O acesso fácil e a proximidade com Dublin fazem deste local perfeito para quem quer ver um pouco mais e começar a sentir o que é realmente a Irlanda.

Vale do Boyne

A viagem continua para norte, esta lista de locais está organizada de forma a poderem preparar uma viagem pela Irlanda e voltarem a Dublin. Este novo sítio que vos sugiro é um conjunto de monumentos pré-históricos mais importante na Irlanda, que fica no condado de Meath. Mais antigo que Stonehenge e as Pirâmides de Gizé.

Tumbas de Passagem em Knowth, no Vale do Boyne
Tumbas de Passagem em Knowth, no Vale do Boyne

Uma das coisas mais fantásticas destes monumentos milenares é o conhecimento e precisão que eles tinham para construirem algo tão exacto. Newgrange é famoso pelo solstício de inverno, o dia mais pequeno do ano, e neste dia o sol entra por uma das portas para iluminar o monumento por dentro. A par de Newgrange, existem vários outros monumentos milenares que usam/usaram este conhecimento. Para mim isso é fascinante, numa era em que nem sequer existia escrita terem um conhecimento tão científico.

Mas quem vai apenas visitar Newgrange fica a perder imenso, no Centro de Visitantes dá para comprar bilhetes conjuntos para dois sítios, um deles menos famoso internacionalmente, mas na minha opinião bem mais interessante, Knowth, onde num só local se encontra um terço da arte megalítica. É mesmo um local impressionante, e que recomendo vivamente a visitar no Vale do Boyne.

Belfast

E mudando de país, mas continuando na mesma ilha! Visita à capital da Irlanda do Norte! A moeda muda, e também mudam alguns sinais de trânsito, nomeadamente os de velocidade. No Reino Unido ainda se usa o sistema imperial nas distâncias, portanto quando virem avisos de limite de 30, não são em quilómetros por hora. Mas convém sempre não arriscar…

Booking.com

Belfast está numa situação geográfica interessante, apesar de em teoria ter o seu próprio condado, como Dublin, é considerado por muitos como uma cidade com um pé no condado de Antrim e outro pé no condado de Down. Mas a história de Belfast não fica pela divisão de condados, mas também na divisão de religiões e identificação nacional. Um problema bem recente da história da Irlanda do Norte é parte muito importante da história recente do país, e visitar Belfast sem tentar aprender sobre os “problemas” (the troubles como eles chamam), é quase como nem sequer conhecer a cidade.

Taxi Preto junto a uma secção dos Muros da Paz em Belfast
Taxi Preto junto a uma secção dos Muros da Paz em Belfast

Com esta pequena introdução, a minha sugestão principal para Belfast é fazer uma excursão com os black taxis (taxis pretos), em que o condutor vos irá levar a conhecer as zonas onde os confrontos entre protestantes e católicos estiveram mais em choque, e na perspectiva desse mesmo condutor. Já fiz essa rota duas vezes, e foram duas experiências completamente diferentes. Mas a opinião final foi a mesma, as coisas tendem a melhorar porque as camadas jovens são mais receptivas às diferenças religiosas. Foram sem qualquer sombra de dúvida duas experiências que apreciei imenso, e que recomendo vivamente.

Dark Hedges

Para quem é fã da série Game of Thrones certamente já ouviu falar neste local. O Dark Hedges é uma pequena avenida de faias no condado de Antrim, cujas copas forma um túnel em direcção a um casarão chamado Gracehill House. Quando visitarem esta rua, há que ter em atenção que o tráfego automóvel é proibido, mas muitos turistas nem se apercebem da sinalização, mas a policia anda sempre por lá. Estacionem o carro numa das entradas, tentem tirar as vossas fotos sem muita gente (complicado, mas possível), e depois é voltar pelo mesmo caminho.

O local é bastante interessante, com um ambiente místico. Mas devido à popularidade, acaba por se tornar também uma decepção. É frequente encontrar grandes grupos de turísticas a visitarem a avenida, portanto se querem uma foto sem pessoas, é bom que acordem bem cedo num dia de verão!

Calçada dos Gigantes

E chegando ao ponto mais a norte desta viagem, ainda em Antrim, e a um dos locais naturais mais fantásticos da ilha. O Giant Causeways, ou Calçada dos Gigantes como se traduz em Português. A Calçada dos Gigantes é uma área de cerca de 40 mil colunas prismáticas de basalto, com formato hexagonal, encaixadas (naturalmente) de uma forma que faz lembrar uma calçada.

Calçada dos Gigantes
Calçada dos Gigantes

A paisagem é mesmo impressionante, e deu origem a várias lendas que hoje em dia fazem parte da experiência para quem visita o local. Logo à chegada encontram o centro de visita onde podem aprender imenso sobre a formação geológica e sobre as lendas que se foram criando no local.

Londonderry / Derry

Não muito longe do ponto anterior, chegamos à cidade fronteiriça com dois nomes, mas apenas um oficial. Visitei esta cidade há uns tempos, e confesso que pouco sabia da sua história, e muito menos complicados numa história tão recente.

Booking.com

Se ir a Belfast e não passear num Black Taxi é uma experiência incompleta, ir a Derry/Londonderry e não visitar o bairro Bogside é quase como nem visitar a cidade. Foi neste bairro onde vários confrontos aconteceram entre católicos e protestantes, e ainda hoje se vêem grafitis dessa altura que demarca esta separação.

Slieve League

Desta lista toda, só Slieve League e Sligo é que ainda não visitei. Mas são recomendações bem comuns quando pergunto onde ir ou quando simplesmente pesquiso, e pelas fotos parece valer bem a pena!

A Irlanda é bem conhecida pelas escarpas junto ao mar, e pelo seu verde. Slieve League é uma mistura dos dois, são uma zona montanhosa no norte da ilha com escarpas que chegam a atingir 3 vezes mais do que as escarpas mais famosas da Irlanda (que irei apresentar mais abaixo). Uma zona excelente para quem gosta de natureza no condado mais a norte do país, Donegal.

Sligo

Quando penso em Sligo, a primeira coisa que me vem à cabeça é a famosa montanha Benbulbin, também conhecida como Ben Bulben. Mas ainda assim, nunca cheguei a visitar essa parte da Irlanda…, sim, já estava na hora!

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

A cidade é a segunda maior da costa oeste da República da Irlanda, logo a seguir a Galway. É fácil de lá chegar, com ligações quase directas desde Dublin tanto de carro como comboio. A cidade fica mesmo na rota da Rota Selvagem do Atlântico, por onde muitos turistas passam, tal como muitos dos outros locais nesta lista. Perfeito para uma viagem de carro, seja a seguir a rota que vos sugiro, seja pela Rota Selvagem do Atlântico.

Connemara

Uma das jóias da coroa irlandesa (a Irlanda é uma república…), o Parque Nacional de Connemara e a zona toda em volta, é algo de fantástico! Algumas das zonas mais fotografadas na Irlanda ficam aqui, nesta zona, como a Abadia Kylemore.

25 locais fantásticos na Irlanda a visitar e a explorar
Sky Road em Connemara

Connemara fica já no condado de Galway, e fica logo acima desta cidade. Dá para usar a cidade como base, ou simplesmente ficar numa das casas familiares no meio do campo para viver a experiência de perto. Sinceramente, prefiro a segunda! Acordar logo no meio da Natureza!

Galway

A maior cidade da costa este da Irlanda, e uma das mais bonitas (na minha opinião). Com um centro pequenino mas castiço, e junto ao mar com vista para as ilhas Aran (não sei se é possível ver as ilhas da cidade). A cidade é bem popular no primeiro fim-de-semana de Agosto, quando decorrem as corridas de cavalo da cidade. É um evento que transforma a cidade completamente.

Booking.com

Para quem não gosta de andar a saltitar de alojamento em alojamento, Galway é um local excelente para pernoitar e usar como base para visitar Connemara, o Parque Nacional Burren, as Escardas de Moher e as ilhas Aran. Fica tudo bem perto, e existem várias agências de viagem a organizarem excursões para todos estes locais com saída da cidade.

Parque Nacional Burren

O Parque Nacional Burren é simplesmente algo de brutal, nada a ver com o resto que se vê na Irlanda. Verde? Qual verde? A cor predominante é o cinzento! Mas não se assustem, que vale bem a pena a visita. É um Parque Nacional, e não é à toa. É um local muito especial.

Só o visitei no Inverno, mas ainda lá quero voltar na altura da Primavera ou inicio do Verão, para ver o quão florido o parque é. É um parque muito rochoso, com uma famosa anta, a Anta de Poulnabrone, mas com muita biodiversidade. Um dos locais que mais gostei de visitar foi uma perfumaria, que usam flores que nascem no parque. O Parque Nacional já fica no condado de Clare, ainda assim muito perto de Galway.

Escarpas de Moher

E ali mesmo ao lado está um dos locais mais famosos da Irlanda, as Escarpas de Moher. Para quem é fã do Harry Potter, é um local de referência a visitar! Irão perceber porquê quando lá chegarem!

Para lá chegar, ou de carro ou em excursão. Não é tão trivial lá chegar usando transportes públicos, mas claro que é possível. Tal como o Parque Nacional Burren, as Escarpas de Moher também estão no condado de Clare, e fica muito fácil visitar estes dois locais em conjunto. No entanto recomendo que reservem tempo suficiente para aproveitarem devidamente cada um deles, principalmente se forem amantes de natureza como eu, e se gostam de fazer caminhadas! Terão muito por onde caminhar, tanto num sitio como no outro

Escarpas de Moher
Escarpas de Moher

Ilhas de Aran

De volta ao condado de Galway, mas sem voltar para trás, é tempo de visitar uma (ou mais) das ilhas de Aran. A maior e mais conhecida chama-se Inis Mór, onde se pode visitar um forte pré-histórico e uma piscina natural rectangular onde a Red Bull leva a competição o Red Bull Cliff Diving.

Para lá chegar, tanto de Galway como de Doolin, uma vila perto das Escarpas de Moher, e claro, ou de barco ou de avioneta até ao aerodrome de Inis Mór.

Dingle

De volta à ilha grande (neste caso não podemos dizer continente…), e vamos descer um pouco até à nossa primeira península! Na verdade já passámos por outras penínsulas, mas esta é a primeira em que sugiro um passeio completo.

Booking.com

Dingle fica no condado de Kerry, e tanto é o nome da península como é da pequena vila piscatória que se encontra na parte sul da península. A vila é um excelente exemplo de uma vila irlandesa, bem colorida, limpa, e acolhedora. E para quem gosta de golfinhos, recomendo vivamente a fazerem a excursão de barco para conhecerem o Fungie!

Parque Nacional de Killarney

Outra das jóias da coroa, o Parque Nacional de Killarney. Aqui existe mesmo muito para fazer, principalmente para os amantes de Natureza, claro. Mas não só, o Parque Nacional fica mesmo junto à vila com o mesmo nome, Killarney, a capital do condado de Kerry. Sendo um ponto de passagem muito turístico, Killarney acaba por ser uma vila cheia de vida durante o ano todo, portanto vale a pena ficar lá uma ou duas noites.

Lagos na encosta de Carrauntoohil
Lagos na encosta de Carrauntoohil

Dos pontos de interesse mais conhecidos na zona do Parque Nacional, dou partilhar destaque para o ponto mais alto da Irlanda, uns meros 1 038 metros de altitude, a montanha Carrauntoohil. A ter em conta que não dá para lá chegar acima de carro, quem se quiser aventurar terá de o fazer a pé, uma caminhada de algumas horas, e dependendo do trajecto escolhido, também com alguma dificuldade. Já a subi duas vezes, e adorei!

Outro dos pontos de interesse é o Ring of Kerry, uma rota circular de 179 km que passa por muitos pontos bem bonitos do sul da Irlanda, e claro, pelo Parque Nacional de Killarney com especial vista para o vale Ladies View.

Gougane Barra

Um ligeiro desvio da costa, e vamos visitar uma pequena floresta. Mais uma vez, local indicado para quem gosta de Natureza. Logo à chegada vão encontrar uma capela num lago, um lugar bastante fotogénico independentemente das condições atmosféricas.

Booking.com

O passeio pela montanha é bem agradável, no entanto tem estado em fase de reflorestação desde que foi detectada uma bactéria responsável por matar carvalhos, no entanto acho que as caminhadas continuam a ter o seu charme.

Gougane Barra fica no condado de Cork, e é onde o rio Lee, que desagua junto à cidade de Cork nasce. Para quem gosta de bicicleta, podem percorrer o rio até à cidade de Cork por várias ciclovias e estradas amigáveis para ciclistas.

Peninsula Beara

E agora chegamos a uma das minhas partes preferidas da Irlanda, uma península que mostra a verdadeira Irlanda Rural. Uma península dividida entre dois condados, parte em Kerry e parte em Cork. As povoações estão bem dispersas e são bem pequenas, sente-se mesmo o quão remoto algumas pessoas vivem, e o quão longe estão de cidades principais.

Algures pela costa da Península de Beara
Algures pela costa da Península de Beara

É na península Beara que se encontra o único teleférico da Irlanda, que conecta uma pequena ilha ao resto do país, a ilha Dursey. E uma das estradas serpentinas mais bonitas do país, senão mesmo a mais bonita (mas isto é só a minha opinião), a Healy Pass.

Mizen Head

Mizen Head é vulgarmente associada ao ponto mais a sudoeste da Irlanda, mas na verdade isto não é verdade. Bem perto existe outro cabo, bem menos conhecido, mas que é realmente o ponto mais a sul da ilha principal, Brow Head, também no condado de Cork. A meu ver vale a pena a visita a ambos, mas Mizen Head é bem mais conhecido, e com um farol para visitar.

Em dias bons, com céu limpo, é possível ver o ilhéu que é realmente o ponto mais a sul do país todo, onde apenas existe um farol. Chama-se Fastnet e tem um valor histórico bem importante para o país, não só pela construção e local difícil, mas também porque era o último ponto do país que os emigrantes que fugiam para os Estados Unidos da América viam antes de se perderem no grande oceano.

Kinsale

Local histórico, palco de uma batalha importante entre a coroa Espanhola (a apoiar os rebeldes Irlandeses) contra a coroa Inglesa. Quem visita a vila provavelmente irá notar nomes de ruas e locais com nomes de espanhóis, isto deve-se a esta batalha.

A nível turístico, além da parte histórica, Kinsale também é o ponto de partida (ou chegada) da Rota Selvagem do Atlântico, que passa pela costa oeste toda da Irlanda até ao ponto mais a norte da ilha.

A apenas 40km de Cork, é um local excelente para uma escapadela de um dia usando a capital do condado como base.

Cork

Chegámos à cidade de Cork, excelente local para usar como base para visitar Kinsale e Blarney devido à proximidade com estas vilas.

Nome Cork em irlandês (Corcaigh) significa pântano, a cidade em tempos tinha imensos canais a atravessar a cidade, mas entretanto foram soterrados e transformados em artérias principais da cidade. Deixaram apenas os dois canais principais a norte e a sul do centro da cidade, o que faz do centro da cidade uma ilha no meio do rio.

A cidade tem vários pontos de referência, sendo os principais a Universidade, o Mercado Inglês e a Torre de Shandon Bells. É fácil percorrer os pontos principais da cidade a pé, na verdade, visitar a cidade com carro até acaba por ser mais um incómodo do que uma mais valia. Mais vale deixarem o carro estacionado no hotel e aproveitarem para esticar as pernas e conhecer a cidade de uma forma mais lenta.

Blarney

Um dos locais mais populares na Irlanda fica nesta pequena vila, e por mais estranho que possa parecer, trata-se te uma pedra no topo de uma torre…, e ainda mais estranho? Porque é que esta pedra é famosa (ou popular)? Porque segundo a lenda, quem a beijar de pernas para o ar é abençoado com o dom da eloquência… Sim, leram bem…

Booking.com

Blarney fica a apenas 15 minutos da cidade de Cork, é fácil lá chegar tanto de autocarro como de carro. A vila tem muito pouco para ver, sendo a maior atracção esta torre e os seus jardins. Mas apesar de parecer insignificante, é um local que recomendo vivamente a visitarem, mas de preferência num dia sem chuva, pois é uma experiência de várias horas e sempre na rua.

Castelo de Cashel

A Irlanda nem sempre foi uma ilha apenas com um país, na verdade, durante muito tempo esteve dividida em vários reinos, sendo Munster o reino maior e mais a sul da ilha. O Castelo de Cashel era a residência do rei de Munster, que faz parte de onde é hoje o condado de Tipperary.

Uma paragem em Cashel é ideal para quem vai a caminho de volta para Dublin, a cerca de meio caminho entre Cork e Dublin, e sempre visitam um pouco mais dos castelos medievais do país antes de seguirem viagem para o próximo destino.

Kilkenny

Quem gosta de cerveja irlandesa certamente já ouviu falar na cerveja Kilkenny, no entanto se virem à Irlanda irão ter alguma dificuldade em encontrar esta cerveja. Confuso? Talvez um pouco, mas é tudo uma questão de marketing. O nome desta cerveja, na Irlanda, é Smithwick’s, mas como já perceberam, é um nome um pouco complicado de pronunciar, então internacionalmente passou a chamar-se Kilkenny, enquanto que na Irlanda continua a ser Smithwick’s!

Castelo de Kilkenny
Castelo de Kilkenny

No que respeita à cidade, é uma cidade histórica algures no meio da Irlanda, mais para o lado da costa este. É conhecida principalmente pelo seu castelo e pelo artesanato local, tanto que até têm festivais de artesanato para promover a arte e a cidade. Para quem gosta de cidades com um estilo medieval e vários parques e jardins, é uma cidade a não perder!

Wicklow

E para terminar a nossa viagem, já quase de regresso a Dublin, chegamos a um dos pontos mais bonitos na área de Dublin, mas no condado ao lado. Wicklow!

A zona mais bonita, e talvez até mais importante, são as Montanhas de Wicklow. Historicamente existe imenso para ver, desde mosteiros do século VI, ao simples facto de estarmos em território onde os rebeldes pela independência se escondiam. Um dos locais mais visitados é o lago Glendalough, onde se pode visitar os mosteiros que referi anteriormente. Nessa zona existem várias caminhadas bem identificadas, e uma pequena cascata para apreciar.

Vista do cemitério junto ao Mosteiro em Glendalough, Wicklow
Vista do cemitério junto ao Mosteiro em Glendalough, Wicklow

Quase toda a gente que visita a Irlanda quer provar a famosa cerveja Guinness, então fica aqui a curiosidade, a água que é usada para fazer esta cerveja vem de uma nascente nas Montanhas de Wicklow. Porque não também visitar essa nascente?

A nossa viagem termina aqui, com regresso a Dublin, com uma volta completa pela ilha passando por dois países! Já visitaram a Irlanda? Que outros locais acha que deveriam estar nesta lista? Deixe a sua sugestão nos comentários!

By Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.