Aventura em Erfurt e Weimar – Into the Wild

Ora bem…, já tinha feito um post sobre o filme Into the Wild…, agora foi a minha vez de avançar com isto, claro que a comparação deverá ser feita a uma escala de 1:1000, mas não deixa de ser um Into the Wild para mim 😛

Basicamente o que aconteceu foi um simples campismo, os espanhóis decidiram ir a Erfurt, Weimar e Jena então o Tiago sugeriu-me irmos acampar para Erfurt e Weimar, sempre deu para poupar uns trocos no alojamento…, o detalhe é que foi campismo selvagem….

Só estivemos 2 noites a acampar, a primeira foi num parque natural de Erfurt…, ou seja, ainda nos arriscámos a ter de dar satisfações à policia mas nada aconteceu, ficámos num local mesmo bem refundido sem visibilidade de nenhuma das estradas onde estivemos 😀 E a tenda, sendo acastanhada, é bem camuflada 😉 Essa noite até dormi bem, durante a noite ainda ouvi bichos a esgravatarem na tenda (ratos ou esquilos) e o acordar foi mesmo ao som da Natureza, pardalada por tudo quanto era lado 😛

Problemas de Erfurt: Mosquitos por tudo quanto era lado e devemos ter montado a tenda numa zona de moscas…, estou todo mordido 😐 Mas sempre deu para conhecermos aquela mata, bastante agradável mesmo 😉 O banho foi num rio, banho à gato…, só da cintura para cima pois nem tinha os calções de banho vestidos e nem estava para isso…

Quanto à segunda noite…, o plano era para acamparmos junto ao campo de concentração de Weimar, no meio de uma floresta no entanto os problemas começaram cedo desta vez…, primeiro começou a chover bastante durante a tarde (e com um calor brutal) mas lá parou de chover, antes de irmos procurar o local para montar a tenda…, depois fomos apanhar o autocarro para irmos para o bosque mas azar dos azares…, ao Sábado haviam poucos para lá e à hora que fomos já não havia nenhum…, lá tivemos de apanhar um autocarro para essa zona e andarmos um bocado a pé…

Segundo o Tiago, as pessoas conhecem-se bem é em situações de necessidade, acampamentos selvagens são exemplo disso…, o que acabei por mostrar é que sou um cobarde…, por vontade dele íamos para um bosque com um portão (?!), na minha ideia aquilo era violação de propriedade privada…, lá andámos bastante e chegámos a um ponto onde vimos um bom local para entrar no bosque, parecia brutal 😀 Ao que vemos logo de seguida uma tabuleta a dizer Perigo de Vida – Zona Militar…, não foi preciso muito tempo para ambos desistirmos da ideia daquele local. Lá voltámos para a propriedade privada e lá a invadimos…, a muito custo mas lá fui atrás dele.

Lá chegámos a um local que parecia menos mau, a mim parecia que estava a acampar ao lado de um Pomar e mais acobardado fiquei, encontrámos um canto porreiro para montar a tenda e lá tratamos de fazer daquele canto a nossa casa por uma noite…

Problemas de Weimar: Carraças, melgas com fartura, um tronco debaixo das costas a noite toda, urtigas (tenho as pernas todas picadas), sentimento de insegurança à bruta.

O banho foi mais original desta vez, foi numa fonte em plena vila (ou cidade?), até tem a sua piada quando deixamos de nos preocuparmos com coisas banais como o aspecto 😛

Balanço da experiência: A repetir sem qualquer sombra de dúvidas! Desta vez não correu nada de mal apesar de existir sempre esse risco, mas também serviu para eu aprender a arriscar um bocado mais naquilo que não consigo controlar. Ahh, e adoro acampar 😛

Quanto à suposta propriedade privada de Weimar…, segundo o google earth era mesmo uma zona industrial abandonada…


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Aventura em Erfurt e Weimar - Into the Wild

Conhecer Auschwitz – Os campos da morte

Esta semana cumpri (finalmente) mais um dos meus objectivos de Eramus, ir a Auschwitz!

Quem procura encontrar algo deprimente, recomendo vivamente a irem no Inverno pois na Primavera de deprimente só mesmo a história e se imaginarem o que as pessoas passaram lá, achei demasiado “tourist oriented“. Árvores bem arranjadas, relva, entrada toda arranjadinha…, até vi pessoal a fazer uma merenda à entrada…

Auschwitz II - Birkenau
Auschwitz II – Birkenau

Esta é a descrição de Auschwitz I, o centro administrativo de todo o complexo, no entanto apesar de ser o centro administrativo também era palco de torturas e afins, neste mesmo complexo vimos parte de um documentário filmado na época, imagens reais da libertação de prisioneiros e do estado de muitos deles…, esta foi a única parte que realmente me fez ficar incomodado, não é lá muito agradável ver o estado de algumas crianças sobreviventes de torturas e afins…

Em Auschwitz I o guia é totalmente dispensável, existem letreiros por tudo quanto é lado a explicar tudo e salvo erro a entrada é gratuita, no entanto fui sempre com guia o que acabou por me valer a pena em Auschwitz II – Birkenau, aí não há qualquer tipo de orientação e um guia é indispensável.

Em contra partida, em Auschwitz II as coisas foram um bocado mais realistas…, no entanto a desvantagem foi mesmo o factor Primavera…, não havia o relvado de Auschwitz I mas havia o ervado característico da Primavera. Fiquei um bocado decepcionado com o que vi, ia com a ideia pré-concebida de que iria ver algo bem depressivo e no entanto acabei de ver uma zona bem cuidada para o Turista poder ver.

Claro que não esperava encontrar lá exemplificações de extermínio em câmaras de gás nem de ver pessoal a trabalhar, esperava sim encontrar algo bem menos tourist-oriented…, espero lá voltar num Inverno, aí sim deve ser deprimente. Não é que goste de ver coisas deprimentes mas gosto de saber que estou a ver algo mais próximo da realidade possível.

Uma vantagem de só ter ido agora a Auschwitz foi agora já ter (embora que reduzidos) conhecimentos de Alemão, de facto tem outro interesse poder compreender (nem que seja em parte) algumas das coisas escritas nas paredes das cavalariças onde os prisioneiros dormiam, a interpretação de meia dúzia de letras tem outro sentido…

Fiz também uma curta passagem por Krakow onde encontrei alguns Erasmus de Dresden também de visita a Cracóvia, foi uma surpresa bastante agradável 😉 Sobre a cidade pouco posso falar, mal tive tempo para a visitar mas quem sabe um dia lá regresse 🙂

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

“Diário” da roadtrip pelo sul da Alemanha e países vizinhos

Cheguei ontem da minha viagem, e como tal pensei que seria interessante falar dos últimos 15 dias, mas citando uma das pessoas que foi na viagem, a Daniela

What happens on the road…, stays on the road.

Continuar a ler ““Diário” da roadtrip pelo sul da Alemanha e países vizinhos”

Planear uma viagem de baixo custo durante Erasmus

Planear uma viagem de baixo custo enquanto se está a frequentar o plano de Erasmus não é tarefa fácil. Os rendimentos são baixos, a vontade de aventura alta. E conjugar isto tudo é um desafio enorme!

Não, não pretendo meter nojo a ninguém nem causar invejas, porque isso é bastante feio…, eu sei bem o quanto contentes estão por eu ir fazer esta viagem… (ou então não…)

Continuar a ler “Planear uma viagem de baixo custo durante Erasmus”