Brisbane, uma surpresa bem agradável no estado solarengo

Brisbane, uma surpresa bem agradável no estado solarengo

Brisbane foi uma cidade que me surpreendeu muito pela positiva. Da viagem de Melbourne a Brisbane ouvi imensas opiniões num sentido oposto à minha experiência, e provavelmente foi isso que contribuiu para uma surpresa tão positiva.

Brisbane é a capital do estado de Queensland, e como seria de esperar, a cidade mais populosa do estado. Mas também é a terceira cidade com mais população do país inteiro, a seguir a Sydney e Melbourne (onde estive antes).

A viagem até Brisbane foi a mais curta que tive na Austrália, apenas cerca de uma hora desde a Gold Coast, e tive a sorte de ir com a companhia do canadiano que conheci no hostel. Já me tinham dito que viagens completamente sozinho na costa Este da Austrália seria quase impossível, começa-se sozinho mas acaba-se num grupo, esta foi a primeira etapa em que comecei a sentir o movimento de backpackers a seguirem o mesmo caminho…

Um pouco da minha experiência em Brisbane

Devo confessar que as minhas expectativas em relação a Brisbane eram próximas de zero, a minha paragem lá foi apenas porque já tinha coisas reservadas para o próximo ponto e não queria ficar demasiados dias numa localidade à espera da aventura. E porque não Brisbane? Sempre que dizia a alguém que iria ficar 3 dias em Brisbane, os comentários eram sempre do mesmo tipo, não vale a pena. Chegou a um ponto, que cheguei a equacionar mudar os meus planos e nem sequer parar lá, mas a única coisa que me fez continuar com o plano original foi mesmo um cupão que já tinha comprado para ver o Zoo da Austrália.

Dragão de Água
Dragão de Água

Ir a Brisbane apenas para ver um Zoo???

Pois, parece que não é das melhores ideias, mas é um Zoo algo especial, fundado pelo famoso Steve Irwin, o caçador de crocodilos. Infelizmente, os meus planos voltaram a ser cancelados mas desta vez por falta de pessoas para fazerem a excursão… Sim, poderia ter ido sozinho, mas decidi ficar por Brisbane. Esta desmarcação foi mais um stress, mas acabou por correr pelo melhor.

Mas como? Se Brisbane não vale a pena?

Mas vale! Adorei a cidade, e fui embora bem contente por ter ficado três dias! A cidade faz lembrar em muito Sydney, talvez apenas pela ponte e pelo estilo arquitectónico, mas lembrou-me imenso Sydney.

No primeiro dia apenas dei umas voltas com o Ben para conhecer parte da cidade, e um pouco da noite, mas foi no segundo dia que me meti a explorar a cidade. Logo de manhã fui até ao centro e até ao Jardim Botânico da cidade, onde vi imensos dragões de água, um tipo de iguana. Animais bem relaxados, certamente bem habituados a pessoas pois deixaram-me tirar fotos de bem perto. Adoro estar no meio da Natureza, e acho que passei a manhã toda num jardim tão pequeno, mas depois continuei a passear pelo centro da cidade, até mais tarde voltar ao hostel.

Vista para a zona baixa de Brisbane desde o Rio Brisbane
Vista para a zona baixa de Brisbane desde o Rio Brisbane

No dia seguinte conheci um coreano que tinha acabado de chegar ao meu dormitório e fui com ele passear até ao Parque Roma, até esta altura já estava com muito boa impressão de Brisbane, mas aqui fiquei apaixonado! O parque é mesmo agradável, com várias áreas temáticas a simularem partes da Austrália, como a zona da floresta tropical que é mantida com mesmo muita humidade. Um detalhe em relação a Brisbane, mas mais em concreto em relação a este parque…, tem mesmo muitas aranhas! Até visitar a Austrália achava que tinha um nível ridículo de aracnofobia…, em Brisbane ainda tinha pavor a aranhas, mas esta viagem e locais como estes ajudaram imenso a conseguir controlar o meu medo irracional por aranhas.

Descobrir Brisbane de autocarro

Adoro descobrir uma cidade a pé, mas quando o tempo é limitado há que recorrer a outras opções. Acho que foi a primeira vez que me meti num autocarro turístico de hop on hop off, e o resultou foi muito positivo. Brisbane tem duas rotas de autocarro turístico, uma pelo centro e outra até ao Monte Coot-tha. Como tinha tempo, acabei por fazer as duas e fiquei com uma ideia de como é a cidade toda. Tal como disse antes, em muito me faz lembrar Sydney, mas em vez de ter a baia de um porto natural, tem um rio. E talvez com um pouco de mais tubarões…, Brisbane tem algumas praias fluviais, mas com vários avisos de perigo de tubarões…, nope, fiquei sem vontade de ir à água…

Durante o passeio, o motorista vai explicando detalhes sobre a cidade, sobre a arquitectura e a fauna e flora locais. A Austrália é um país que está a sofrer imenso as consequências de inserção de espécies não nativas, apesar de se dizer que tudo nos tenta matar na Austrália, também parece ser verdade que tudo adora a Austrália. Então é normal ver-se e ouvir-se informação de sensibilização para se proteger as espécies locais, e os esforços para conservarem a flora local passa por sugestão de planeamento de jardins.

No que respeita à arquitectura local, mais fora do centro vêem-se várias casas quase suspensas em estacas, mas também no topo de colinas. A primeira coisa que pensei foi em cheias, mas no topo de colinas? Mas não demorou muito até o motorista explicar o motivo, por vezes o calor é tanto que se torna quase insuportável de estar até dentro de casa, então estas casas são elevadas para poderem ter ventilação por baixo, e com isto ajudar a manter a temperatura mais tolerável.

Autocarro turístico em Brisbane
Autocarro turístico em Brisbane

Uma das grandes vantagens destes bilhetes de 24 horas é que se pode entrar e sair do autocarro as vezes que se quiser, e assim explorar partes da cidade que ficam um pouco mais fora de caminho. Um dos pontos em que fiquei a explorar foi a zona de China Town, por onde andei um bocado para ver a ponte e ver o bairro. Depois acabei por apanhar o autocarro seguinte para o centro para a próxima rota, mas isso fica para um outro artigo.

NOTA: De acordo com o site, estes autocarros já não estão em actividade… No entanto existem outras alternativas para explorar a cidade, infelizmente um pouco mais caras.

A vida no hostel em Brisbane

Para quem anda a viajar de mochila às costas, a sorte em ficar num bom hostel com as companhias certas é um factor bastante importante para a viajar se revelar ainda melhor. E isso aconteceu no meu hostel em Brisbane, tive a sorte de ter conhecido o Ben na Gold Coast, e também nas pessoas que conheci no meu dormitório. Devo-o em muito ao Ben, ele tem bem mais à vontade para meter conversa com estranhos do que eu, e foi graças a isso que passámos algumas horas a jogar One Night Werewolf.

Booking.com

Beber uns copos de facto ajuda a conhecer pessoas, mas jogar jogos é também uma forma excelente. Claro, acabámos a noite num pub…, mas isso seria quase inevitável quando se está num hostel cheio de jovens mochileiros. Do quarto, fomos para o pub que fica mesmo por debaixo do Hostel X Base Embassy, onde estávamos a ficar. Claro, jogos voltaram a entrar na equação, mas desta vez…, drinking games… Deu para rir imenso, para conhecer ainda mais pessoas e ficar ligeiramente bêbado, mas acho que faz parte da experiência. Ainda assim, no dia seguinte acordei cedo e cheio de energia para conhecer Brisbane!

A cadeia de hostels NOMADS / X Base é talvez uma das maiores, senão a maior cadeia de hostels da Austrália e Nova Zelândia. É extremamente fácil marcar o próximo ponto de estadia através dos balcões de atendimento dos hostéis. No entanto, a NOMADS e a X Base eram duas cadeias diferentes, e dá para ver bem o estilo entre as duas. Pessoalmente, prefiro bem mais a NOMADS, as condições são bem melhores e mais modernas, até o staff achei mais simpático…, mas talvez isso fosse já um pouco de embirração para com a X Base.

Uma das grandes vantagens desta rede de hosteis é que têm balcões de turismo, onde nos ajudam a marcar viagens, excursões e afins sem termos de nos preocupar muito. Os valores também parecem ser baixos, o que torna ainda mais atractivo para mochileiros. Para quem vai procurar uma experiência de trabalho por um ano na Austrália, esta cadeia de hosteis também ajuda a procurar esses empregos temporários, ou até mesmo em quintas. Apesar de preferir a NOMADS, não consigo deixar de os recomendar.

O hostel em Brisbane onde ficámos é um dos dois da X Base na cidade, o outro fica bem mais próximo da estação central de autocarros, mas este fica bem mais central. Quase tudo fica a apenas uns passos do hostel, e tudo fica bem mais fácil, para comer, beber café ou até ir às compras. Mas para voltar para a estação de autocarros, ainda implica uma caminhada de uns 15-20 minutos, mas faz-se bem. Ou então apanha-se um autocarro, para quem gosta de andar menos…

Lorikeet nos Jardins Botânicos de Brisbane
Lorikeet nos Jardins Botânicos de Brisbane

Além de todas as outras vantagens, ficar em hosteis, é uma excelente forma para conseguimos poupar imenso dinheiro. Naqueles dias em que temos tempo, ou apenas queremos poupar dinheiro, podemos usar a cozinha e fazer os nossos próprios petiscos. E com o grupo certo de pessoas, então até fazemos almoçaradas ou jantaradas! Excelente forma para conhecer gente e conviver. No hostel em Brisbane não me juntei a ninguém, mas lá mais para a frente na viagem fui conhecendo algumas pessoas e íamos comendo em conjunto.

Ver Brisbane de cima, do Monte Coot-tha

Que melhor forma de ver uma cidade, senão de cima? Brisbane tem duas rotas de autocarros hop on, hop off, uma delas pelo centro e outra que vai até ao Monte Coot-tha, de onde dá para ver uma vista linda da cidade toda. É uma vista lindíssima, e vale bem a pena perder o tempo para lá chegar acima. As rotas hop on hop off cruzam-se em alguns pontos, e é fácil mudar de um autocarro para o outro, só muda um pouco a frequência. Os pontos de interesse desta rota são bem menores, na verdade, além dos que se podem visitar pela rota da cidade, só tem mais dois.

Jardins Botânicos de Brisbane

O primeiro ponto foi os Jardins Botânicos de Brisbane, não confundir com o Jardim Botânico da Cidade, são jardins diferentes! Os jardins que ficam fora da cidade são bem maiores, e mais diversificados do que o do centro da cidade. Se tiverem a oportunidade não a deixem escapar, vale bem a pena!

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

Até têm um jardim de bonsais, bastante impressionante! Acho que apenas ali estive cerca de uma hora, até apanhar o autocarro seguinte. Senti que corri um pouco, mas também deu para aprender bastante sobre a botânica da Austrália, nomeadamente sobre os fetos da Austrália. E mais uma vez, mesmo muitas aranhas…, algumas teias pareciam redes sobre a minha cabeça… Deu para ajudar a ultrapassar a fobia, em certas partes ou passava por baixo, ou tinha de voltar atrás…

Monte Coot-tha

Uma hora passada, e regresso à paragem de autocarros. Ainda tive de esperar um pouco, mas faz parte da experiência… Dali, o proximo ponto foi o topo do Monte Coo-tha. Coot-tha, no idioma aborígene local, quer dizer Local do mel, onde as tribos da zona iam buscar mel de um tipo especial de abelhas, abelhas sem ferrão. Quando se deu a colonização, o nome do monte ficou como Colina de Uma Árvore (One Tree Hill) devido ao facto de terem desbastado as árvores todas do topo, à excepção de um eucalipto. Em 1880 foi declarado como Reserva Pública, e devolveram o nome original ao local.

Como tenho vindo a dizer ao longo do artigo, a vista dali é simplesmente fenomenal! Mas também não há muito para fazer lá…, um café e a vista. As opções para voltar do Monte Coot-tha ou são a pé, ainda uma caminhada considerável que em parte me arrependo de não ter feito, ou então voltar no mesmo autocarro. O motorista faz uma pausa de cerca de meia-hora, dá perfeitamente para ir ao WC, tirar fotos e ainda beber um cafézinho antes de voltar para a cidade.

De volta ao hostel

Assim que voltei ao hostel em Brisbane, recebi logo boas noticas! A minha estadia na ilha Fraser foi prolongada! Mas com isto…, fiquei também com dois hosteis reservados para a mesma noite em Noosa…, já não dava para cancelar sem receber o dinheiro, então optei por nem cancelar… Se calhar devia tê-lo feito… Mas pronto, mais uma noite numa ilha fantástica, valeu bem a pena esse dinheiro desperdiçado!

Brisbane, uma surpresa bem agradável no estado solarengo
Brisbane, uma surpresa bem agradável no estado solarengo

Voltei a sair para mais uns copos, no pub mesmo por baixo do hostel, com o coreano e mais uma grande bebedeira… Mas esta última noite foi bem menos animada, apenas éramos 4 no bar, não deu para jogos mas deu para muita conversa. Por norma não gosto de sair com o objectivo de beber, mas quando a noite é passada em boa companhia, uma ressaca no dia seguinte é apenas um mal menor.

Viajar sozinho é isto mesmo, sermos colocados em situações que de outra forma muito provavelmente não iríamos viver, e conhecer pessoas que só por mesmo muita casualidade poderíamos alguma vez vir a conhecer. Se voltei a falar com eles? Com alguns não, mas sei que se lhes enviar uma mensagem hoje a dizer que dentro de uns meses vou ao país deles, irei ter alguém para me receber de braços abertos. Alguém com quem apenas partilhei algumas horas e cervejas.

Onde fica Brisbane?

Brisbane é a capital do Estado de Queensland, também conhecido como o Estado Solarengo (Sunshine State), e fica no sul do estado quase na fronteira com Nova Gales do Sul. Sendo a capital do estado, está bem servida por transportes, e é o ponto de chegada de mais rotas da rede de transportes Greyhound, a qual usei por quase toda a minha rota pela Austrália.

Por Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

1 comentário

  1. A Austrália está muito na minha lista… 🙂 Se não for este ano será em 2018… o problema é mesmo a dimensão do país e fazer uma seleção dos lugares a visitar em 3 semanas, que é o máximo de tempo que tenho. Pelo seu post já estou a ver que Brisbane não se pode perder… 😉

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.