Categorias
Ásia

Visitar o templo Kinkaku-ji e o bairro Gion à noite

Kinkaku-ji, o Templo Dourado

Kinkaku-ji Temple, também conhecido como o Templo Dourado, é um templo que foi construído como uma villa até que um dos donos faleceu, e por seu desejo o local fosse convertido num Templo Zen. O templo que vemos hoje em dia é uma reconstrução do templo original, que em 1950 foi destruído num incêndio provocado por um monge noviço.

Para lá chegar, a melhor forma é mesmo de autocarro. O sistema de transportes públicos de Quioto está muito bem organizado, e muito fácil de usar. O passe diário é mesmo a melhor forma de deslocamento dentro da cidade. Kinkaku-ji fica numa das extremidades da cidade, mas existe muito mais para visitar na zona além do templo. No entanto, eu recomendo vivamente a visita, apesar de ser um pouco caro, é um local de uma beleza inigualável. Infelizmente não tive muita sorte com o tempo, pois estava de chuva, mas ainda assim aproveitei bastante o tempo que lá estive com um passeio pelos jardins.

Visitar o templo Kinkaku-ji e o bairro Gion à noite
Visitar o templo Kinkaku-ji e o bairro Gion à noite

Existe muito para fazer na zona, no entanto também desperdicei bastante tempo para chegar aos templos que visitei, então para jogar pelo seguro decidi regressar à Estação de Quioto e reservar o meu bilhete de regresso a Tóquio. O que se revelou como uma das minhas melhores decisões, visto que o comboio já estava quase todo reservado. E para relaxar um pouco, fiz mais uma paragem no Starbucks (juro que não estou a promover esta empresa!!!), onde escrevi mais uns quantos postais e outras notas para o blog.

Booking.com

Molhado, cansado e com fome, e já a ficar de noite! Decidi voltar a Gion para uma caminhada nocturna e comer alguma coisa. Enquanto esperava pelo autocarro conheci três raparigas indianas que pareciam ainda mais perdidas do que eu. Falámos por um pouco e apercebemo-nos que íamos na mesma direcção, mas com paragens diferentes. Por acaso acabámos por nos encontrar outra vez nessa noite enquanto andávamos a explorar Gion… Ahh, aquela sensação de me sentir como um turista…

Street in Gion at Night
Rua em Gion à noite

Continuei a passear pelo bairro Gion a tentar encontrar um bom restaurante para comer, mas assim que atravessei a ponte deparei-me com o Mercado de Comida de Rua. Apesar da fome, decidi que iria tentar encontrar um restaurante para variar um pouco. Continuei a andar, e claro que me deixei perder naquelas ruelas, o que foi brutal. No entanto a fome ia aumentando, e os meus critérios de escolha para um restaurante iam diminuindo a cada segundo. Encontrei uma Enoteca Portuguesa, e para ser sincero senti-me bem tentando a entrar, mas o meu sentido de viajante dizia o contrário. Afinal de contas estava no Japão…, uns metros à frente encontrei o restaurante indicado para mim, junto ao rio com uma boa vista, mas mais uma vez estava sozinho! Então acabei por jantar sentado junto ao balcão ao lado de um casal.

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

Como queria, o meu jantar foi bem mais num estilo japonês, acho eu… Pedi sake quente e mais outras coisas. E como entrada pedi soja em vagem verde! Muito bom, bem melhor do que esperava! Mas como foi a primeira vez que comi aquilo, as primeiras vagens comi-as por completo, até que me apercebi que aquilo era mais tipo ervilhas e que o prato vazio ao lado deveria ser para colocar as vagens vazias… E claro, que sabe BEEEM melhor se só comer os grãos de soja… No final paguei menos de 20€, muito boa comida e com bebida, nada caro!

Quando viajo sou bem mais relaxado com desconhecidos, ainda não cheguei ao ponto de meter conversa à toa, mas não me importo de começar uma conversa de vez em quando. O casal ao meu lado estava a tentar tirar uma selfie, e achei que seria simpático oferecer-me para os ajudar a tirarem a foto com a comida local. Hoje em dia já estou bem habituado a diferentes pronuncias, mas confesso que fiquei um pouco confuso com as pronuncias deles. Ela soava completamente como alemã, e ainda deu para perceber algumas coisas, mas ele parecia ser holandês ou com alguma pronuncia alemã bem acentuada, mas quando falaram comigo foi numa pronuncia americana perfeita! Foi bem interessante ouvir aquelas diferenças.

Riverbanks of the Kamo River
Margens do rio Kamo

Depois de comer e pagar, decidi que estava na hora de voltar para o hostel, visto que teria de acordar cedo na manhã seguinte. E quem encontrei assim que saí do restaurante? As raparigas indianas! Três vezes na mesma noite, numa cidade tão grande! Ahh, turistas…, somos como formigas, sempre a seguir os mesmos trilhos…

Onde fica o Templo Kinkaku-ji?

Por Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.