Categorias
Europa

O que visitar em Dresden? 20 locais na cidade e arredores

Dresden é uma cidade que adoro, vivi lá por 11 meses enquanto estava em Erasmus. Quando escolhi Dresden nem sabia onde me estava a meter, simplesmente queria viver na Alemanha sem ser em nenhuma cidade em específico. A única pesquisa que fiz antes de lá chegar foi de mapas da cidade. A surpresa quando cheguei foi daquelas bem grandes, a cidade é mesmo linda!

Muito mudou na última década, e quando fez 10 anos após ter lá vivido, decidi regressar e visitar a cidade e arredores com uma perspectiva diferente. Já não era um estudante, a minha mentalidade também mudou, fui como turista, e claro, a cidade também mudou imenso. Mas há coisas que são eternas (ou deveriam ser), o que fazem deste artigo intemporal.

O que visitar na cidade de Dresden

Uma das grandes vantagens de visitar uma cidade na Alemanha, são os transportes públicos. Dá para visitar muita coisa nos arredores das cidades só usando transportes públicos. Sendo Dresden uma cidade universitária, então ainda melhor (acho eu). Como tal vou separar este artigo em duas secções principais, o que visitar na cidade e o que visitar nos arredores.

Frauenkirche (Igreja de Nossa Senhora)

Este é um dos locais mais emblemáticos da cidade, e também o edifício que parece que não encaixa ali no meio. Todos os edifícios em volta são bem escuros, e antigos, enquanto que a Frauenkirche está ali no meio, bem branca e com um aspecto bem novo. Mas porquê? E porque é que é um dos locais mais emblemáticos da cidade?

Frauenkirche (Igreja de Nossa Senhora) à noite
Frauenkirche (Igreja de Nossa Senhora) à noite

É de facto um edifício novo, com menos de 40 anos, e de facto todos os edifícios em volta têm mais umas duas ou três centenas de anos (talvez até mais). O edifício original foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial, e os destroços ficaram como um memorial à catedral que ali existia. Com a reunificação das Alemanhas, decidiram reconstruir a catedral usando, dentro do possível, os materiais originais. Com excepção do dome, e com recurso à tecnologia, reconstruíram a cardeal que agora ali existe.

Então não só é um monumento lindo de ver, mas também cheio de história e cheio de simbolismo para a população local. Vale a pena visitar tanto por dentro como por fora!

Fürstenzug (Procissão dos Príncipes)

Bem perto da Frauenkirche, existe um painel de azulejos que não passa indiferente a quem ali passa. É chamado de Procissão dos Príncipes, e mostra quase todos os príncipes da Saxónia, desde 1127 a 1904, com excepção do primeiro e do último príncipe. Não sei quais os motivos para a exclusão do primeiro, mas o último não foi excluído, o painel simplesmente foi criado antes dele se tornar rei da Saxónia. No painel também aparecem vários cientistas, artistas, crianças e agricultores.

Fürstenzug (Procissão dos Príncipes)
Fürstenzug (Procissão dos Príncipes)

Este painel inicialmente era uma pintura, mas rapidamente se começou a deteriorar, então substituíram por um painel de azulejos de Meißen. Foram pouco afectados durante os bombardeamentos da Segunda Guerra, então o painel que ainda hoje podemos ver é o original.

Hofkirche (Catedral de Dresden)

Uma das grandes vantagens de cidades antigas são os seus núcleo históricos. Em alemão o nome que se dá à parte antiga de uma cidade é “Altstadt”, que significa literalmente “cidade antiga”. A grande maioria dos pontos de interesse ficam concentrados nestas áreas, então fica bastante fácil de visitar vários monumentos numa manhã sem sequer usar qualquer tipo de transporte.

Não viaje sem Seguro de Viagem!

Recomendo vivamente a World Nomads, seguros especializados para viajantes. Bem detalhados antes de os riscos acontecerem!

A Hofkirche é um dos monumentos mais importantes da cidade, a Catedral de Dresden. Enquanto que a Frauenkirsche é uma igreja de grandes dimensões, a Hofkirche foi elevada a catedral em 1964. Sendo o local de culto religioso mais importante da cidade.

A melhor perspectiva da catedral é mesmo do outro lado do rio, onde se consegue a clássica fotografia da cidade velha de Dresden (Altstadt). E claro, de perto e por dentro também é bem impressionante!

Terraço de Brühl

Uma das características que mais me surpreendeu neste terraço infelizmente já não está em funcionamento. Até 2013 era possível ouvir os sons dos bombardeamentos de Dresden a partir do Terraço de Brühl. Bastava colocar os cotovelos no corrimão com vista para o Elba, as mãos nos ouvidos, e ouvir a gravação propagada pelo corrimão. Uma experiência muito interessante, que infelizmente foi permanentemente encerrada de acordo com o artigo que encontrei enquanto pesquisava para este artigo.

Vista para a Altstadt de Dresden
Vista para a Altstadt de Dresden

Independentemente dessa experiência, o terraço é um local bem bonito e tranquilo onde ocasionalmente também fazem exposições de rua. E a vista? Constantemente a olhar para o vale do Elba, de frente para a parte nova de Dresden. Local perfeito para descansar as pernas depois de andar pela parte velha da cidade.

Albertinum

O Albertinum fica no Terraço de Brühl, é um museu de arte moderna que abriga duas galerias principais, a Galeria dos Novos Mestres e a Colecção de Esculturas.

Por fora o edifício passa despercebido, mesmo tipo de arquitectura e era dos edifícios à volta. Mas ainda assim, não deixa de ser um edifico bem bonito de ver por fora.

Por dentro, é casa de inúmeras peças de arte, excelente para aqueles que gostam de visitar museus quando conhecem uma cidade nova. Mas também para aqueles que têm interesse em ver algo diferente.

Tanto os bombardeamentos como as cheias afectaram este edifício. Apesar de ficar um pouco mais elevado, ainda assim foi afectado pelas cheias, tanto que sofreu obras de manutenção e a implementação de um depositário novo à prova de cheiras.

Ópera Semper

O edifício da Ópera Semper é outro edifício cheio de história, e foi reconstruído por duas vezes! A primeira vez após um incêndio, e a segunda vez exactamente 40 anos depois de ter sido destruído, durante as últimas semanas da Segunda Grande Guerra.

Vista frontal da Ópera Semper
Vista frontal da Ópera Semper

Caso ainda não tenha sido óbvio, Dresden foi palco de um forte bombardeamento durante a Segunda Guerra Mundial, portanto alguns dos edifícios em Altstadt são bem mais recentes do que na parte nova da cidade.

A Ópera Semper tem também a particularidade de ter sido palco de estreia de várias obras de Richard Strauss nos anos que antecederam a guerra. Hoje em dia é um dos edifícios mais bonitos da cidade, e também um dos ícones de Dresden.

Zwinger

Outro local que também sofreu durante os tempos, também pelos bombardeamentos de Dresden, mas também mais recentemente foi afectado pelas grandes cheias de 2002. É fácil encontrar imagens destas cheias e ver o efeito que teve na cidade de Dresden, mais impressionante é lá estar a ver o quanto o caudal do rio deve de subir para chegar àquele ponto!

O Zwinger é o palácio de Dresden, reconstruído em 1963 como estava antes da guerra. O local do palácio fazia parte dos limites da antiga fortaleza de Dresden, em que parte da muralha ainda está preservada no castelo.

Hoje em dia é bem conhecido pelos seus jardins, mas também pelos vários museus que estão baseados nos seus claustros. E fica mesmo junto à Ópera Semper, que fazem todos parte do complexo de Dresden Altstadt.

Ponte Augustus

O último ponto de interesse da zona antiga de Dresden, e mais outro monumento que foi reconstruído por várias vezes. Mas nenhuma delas devido aos bombardeamentos, pelo menos que eu tenha conhecimento.

Booking.com

Nesse mesmo local existia uma ponte desde o século XII, mas em meados do século XVIII o rei Augustus mandou construir uma ponte com 12 arcos. No entanto, para permitir a passagem de tráfego fluvial, no inicio do século XIX a actual ponte foi construída com apenas 9 arcos, mas mais larga para facilitar também o tráfego rodoviário. O material usado foi também rochas de arenito.

A ponte liga a parte antiga de Dresden, Altstadt, à parte nova da cidade, Neustadt. Onde é possível visitar muitos outros monumentos, no entanto não os irei listar todos. Pela ponte passam também três linhas de eléctrico, a cidade de Dresden está muito bem organizada no que respeita a transportes públicos.

Kunsthof Dresden (Pátio da arte)

Já na zona “nova” da cidade, Neustadt, existe um pátio bastante interessante e algo popular nas redes sociais. É um pátio com algumas fachadas decoradas com temáticas bem distintas, sendo uma delas bem popular por ter tubos em formato de instrumentos de metal para recolher a chuva.

Famosa fachada em Kunsthof Dresden (Pátio da arte)
Famosa fachada em Kunsthof Dresden (Pátio da arte)

Ao contrário do que se pensa, estes “instrumentos” não projectam som quando chove. São meramente decorativos, e o pouco som que se ouve é da chuva a bater no metal. A acústica não funciona assim.

Encontrar este pátio já é um pouco mais complicado, não fica num local óbvio. É necessário passar por uma entrada, que parece ser entrada particular, para chegar ao pátio entre os edifícios. Mas está identificado por uma placa do lado de fora, se virem a indicação de Kunsthof Passage, não hesitem em entrar!

Gläserne Manufaktur (Fábrica Transparente)

A tradução do nome não é exacta, seria antes Fábrica de Vidro, mas essa tradução induziria em erro. O nome deve-se ao facto de a fábrica ser transparente, dá para ver de fora como funciona por dentro. É um edifício impressionante e bem bonito.

Gläserne Manufaktur (Fábrica Transparente)
Gläserne Manufaktur (Fábrica Transparente)

É uma das fábricas da Volkswagen, e também um expositor da marca. A visita guiada é bastante interessante, ver como preparam os carros quase à mão. Esta é uma das particularidades desta fábrica, existe muito trabalho manual e os empregados usam batas como se estivessem num hospital. A limpeza é extrema, e esse é uma das imagens de marca da fábrica.

Muitos dos carros são feitos por encomenda, com medidas especificadas pelos novos donos para certas partes, como a bagageira. Como tal, tirar fotografias a alguns dos carros é proibido pois já são propriedade de privados. Mas a experiência é mesmo muito interessante, tanto para quem adora carros, como para quem tem apenas curiosidade em ver uma fabrica de carros diferente do habitual.

Großer Garten (Grande Jardim)

Neste jardim tem imenso para ver, aliás, algumas das coisas que pensei em listar estão todas dentro do Großer Garten, como tal decidi manter tudo junto. Dá para passar uma tarde bem agradável no Großer Garten sempre com actividades.

O Jardim Zoológico de Dresden fica junto ao Großer Garten, a entrada fica por uma das avenidas junto ao jardim. Mas mesmo de dentro do jardim dá para ver parte do Jardim Zoológico.

Para quem gosta de andar pouco, ou está com crianças, uma forma bem divertida de conhecer o Großer Garten é no mini-comboio que passa por várias zonas dentro do parque. Com várias mini-estações em que podem entrar e sair, e explorar algumas partes em especificas do parque sem terem de andar muito. Mas sinceramente? Prefiro bem mais andar e perder-me pelo parque!

Palácio no centro do Großer Garten (Grande Jardim)
Palácio no centro do Großer Garten (Grande Jardim)

No centro do Großer Garten existe um pequeno palácio com um lago nas traseiras e um jardim à frente. Bem bonito por fora, mas sinceramente nunca o visitei por dentro…

Também no parque está o Jardim Botânico de Dresden, o que faz todo o sentido tendo em conta que este é o maior parque/jardim dentro da cidade. Na verdade, o Großer Garten em si é um Jardim Botânico só por si, muita variedade de árvores e arbustos, e vários animais a passearem pelo parque. Irão ver vários esquilos, e alguns deles até poderão pousar para algumas fotografias…

E enquanto escrevia este artigo descobri que a Fábrica Transparente faz parte do Großer Garten. Pensava que ficava simplesmente ao lado, mas aparentemente faz parte da área do Jardim! Fica também a informação, que se planearem visitar um destes dois locais, o outro fica mesmo ao lado!

Museu da Higiene de Dresden

Este foi um dos museus que visitei enquanto estava em Erasmus, e na altura apenas o visitei por achar piada ao nome, não esperava ter gostado tanto do que encontrei.

O museu não se foca apenas em higiene, na verdade, o maior foco é mesmo na saúde em geral e ciência do ser humano. Uma das exposições permanentes retrata a raça humana, o corpo, saúde, cultura e contexto social do ser humano. Esta exposição tem o nome de “Aventura da Humanidade”.

Também está orientada para crianças, com várias actividades ao longo do museu, com especial destaque para o Museu dos Sentidos que está bem orientado para as camadas mais pequenas. É um museu para toda a família!

Blaues Wunder (Milagre Azul)

Esta é uma ponte centenária, que conecta dois bairros que na altura da sua construção eram considerados como dos mais caros da Europa. O nome oficial da ponte não tem nada a ver com milagres nem com a cor azul, mas sim é o nome de um destes bairros, Loschwitz. Ficou apelidada por Milagre Azul devido ao facto de na altura ter sido considerada como um milagre de engenharia na altura, e pela sua cor azul.

Esta ponte já fica nos subúrbios de Dresden, no entanto existe linha de eléctrico quase até à ponte. Uma pequena caminhada desde a paragem do eléctrico e conseguem apreciar a ponte centenária.

Ponte Blaues Wunder (Milagre Azul)
Ponte Blaues Wunder (Milagre Azul)

Uma curiosidade sobre esta ponte, a área à sua volta foi considera como Património da Humanidade da UNESCO por 5 anos, mas perdeu este titulo devido à construção de uma ponte ao lado. A nova ponte foi construída com o intuito de aliviar o tráfego da ponte Blaues Wunder, e para a tentar salvar, mas ironicamente, essa nova ponte resultou na perda do estatuto da UNESCO.

Durante a Segunda Guerra Mundial esta ponte também esteve em risco, mas foi salva graças a duas pessoas terem detectado os detonadores instalados pela SS e terem cortado os fios. Caso contrário, seria mais um dos monumentos de Dresden a serem destruídos durante a guerra.

Teleférico de Dresden

Bem perto da Blaues Wunder encontra-se um dos teleféricos mais antigos do mundo, entrou em serviço em 1901. Ao contrário de quase todos os monumentos listados anteriormente, este não foi danificado durante a Segunda Grande Guerra.

Este teleférico funciona como um funicular, a carruagem que desce está ligado por um cabo à carruagem que sobe, criando um movimento mecânico apenas quase por recurso à gravidade.

A partir deste teleférico podem também visitar um dos pontos de interesse da cidade (que não listei aqui), e que proporciona uma vista incrível sobre a cidade e o vale do Elba. A torre da televisão.

Uma opção bem interessante para quem gosta de caminhar é subir o teleférico e descer a pé, por um dos vários trilhos que vão dar à cidade. Esta também é a opção mais barata para quem quiser poupar no teleférico, no entanto na minha opinião vale pena experiência.

O que visitar nos arredores de Dresden

Como referi antes, os transportes na Alemanha funcionam muito bem e seria uma pena não visitar alguns locais incríveis pelo simples facto de não serem dentro de uma cidade. Muitas pessoas viajam para cidades e esquecem-se que existe muito mais para visitar nos arredores, e por vezes os arredores valem bem mais a pena do que a cidade em si. Não é o caso de Dresden, na minha opinião bem parcial, a cidade é fantástica! Mas também são os arredores, daí sugerir pelo menos 5 dias para visitar a zona, ou talvez uma semana?

Pillnitz

Começando pelo mais próximo do centro de Dresden, na verdade este local talvez fosse melhor estar na lista acima. Mas acho que já é considerado como fora de Dresden, ainda assim, é fácil de lá chegar usando apenas eléctrico e ferry para atravessar o Elba.

Pillnitz é um palácio junto ao Elba, com uma vista brutal para o vale. Vista brutal, mas também intensa, numa das paredes do palácio, do lado do rio, dá para ver as marcações das cheias registadas na zona. Ver até onde a água chegou em 2002 e depois olhar à volta e ver apenas planície dá que pensar! É bastante assustador pensar que em pleno verão de 2002 existiu ali um mar destrutivo.

Vista da entrada do Palácio de Pillnitz do outro lado do Rio Elba
Vista da entrada do Palácio de Pillnitz do outro lado do Rio Elba

O passeio a Pillnitz vale tanto pelo palácio como pelos jardins, um dos pontos de interesse é a centenária Camélia de Pillnitz, uma camélia de 230 anos. A importância desta árvore passa despercebida a muitos visitantes, e até locais, a raridade desta árvore é tal que na altura chegou a ser usada como oferta para fortalecer laços politicos. Foram oferecidas três camélias, para Viena, Hanover e Dresden, esta foi a única que sobreviveu daí a importância e protecção da árvore.

Dresdner Heide (Floresta de Dresden)

Outro local que na prática faz parte da cidade de Dresden, mas que coloco na secção dos arredores. O Dresdner Heide é uma floresta na cidade com uma área de cerca de 6 133 hectares. É uma zona recreativa importante para a cidade, por ser uma vasta área de natureza e pela proximidade para com a cidade, em algumas partes fica bem perto do centro da cidade.

Para os amantes da Natureza, é uma escapadela perfeita para um passeio de bicicleta ali bem perto da cidade. A floresta não é continua, com algumas estradas pelo meio e uma principal que liga Dresden à vila de Radeberg, conhecida pela sua marca de cerveja. Se estiverem muito cansados, no regresso podem voltar de comboio até ao centro.

Moritzburg

Já falei nesta vila noutro artigo, é bem conhecida pelo palácio no meio de um lago. O passeio ao longo do lago proporciona imensas perspectivas lindas para o palácio, com os reflexos no lago.

Moritzburg é um palácio barroco, construído em meados do século XVI inicialmente como um alojamento de caça. Sendo a zona à volta uma das preferidas da realeza da Saxónia para a prática.

Vista para o Palácio de Moritzburg
Vista para o Palácio de Moritzburg

Hoje em dia o palácio é um dos locais mais visitados na zona, fica apenas a 13 km de Dresden e é fácil lá chegar de autocarro. É usado também para casamentos devido à beleza do local, e para outros eventos. Encontrar o palácio sem pessoas é quase impossível…

Vale do Elba

O Vale do Elba engloba muita coisa mesmo, quase que merece um artigo só para si (e se calhar ainda o escrevo)! Tanto que os dois locais que refiro abaixo se encontram neste vale.

Uma das zonas mais conhecidas do Vale do Elba é um Parque Nacional chamado Suíça Saxónia, de uma beleza incrível! Também já o referi noutro artigo, e é um dos meus locais preferidos na Alemanha.

Existem várias formas de percorrer este vale, a mais simples é definitivamente de comboio, saindo para explorar numa das várias estações ao longo do rio. Ou então, percorrê-lo de dentro do próprio rio, num dos vários cruzeiros que partem da cidade de Dresden. Seja qual a forma escolhida, será uma experiência memorável e repleta de fotografias.

Castelo Neurathen

Este é um castelo bem especial, um tipo de castelo único incorporado nas rochas como forma de defesa. Supostamente é um tipo de castelo medieval, no entanto a primeira referência a este castelo data de 1755.

Hoje em dia pouco resta do castelo, apenas os quartos escavados na pedra, a cisterna, as passagens e pouco mais. Mas dada a vista e a singularidade do castelo, é um local que faz parte do itinerário recomendado na zona da Suíça Saxónia.

O Castelo Neurathen fica no Vale do Elba, e é um dos muitos locais que proporciona uma vista incrível sobre o vale

Bastei

E continuando no Vale do Elba, bem perto do Castelo Neurathen, aliás, tão perto que basicamente fazem parte do mesmo complexo. Bastei é uma ponte linda no meio das rochas a quase uma altitude de 200 metros! Escusado será de dizer que a vista lá de cima é sublimar, com várias oportunidades para fotografia “quase” aérea sobre o Vale do Elba.

Inicialmente a ponte era de madeira, mas devido à grande afluência de turistas, que existe há cerca de 200 anos, em 1851 a ponte foi substituída pela actual ponte de rocha de arenito.

Bastei é um dos miradouros mais conhecidos e visitados do Vale do Elba. Para lá chegar basta apanhar o comboio até Neurathen, atravessar o rio de ferry, e fazer a caminhada até ao topo. Preparem-se que em certas alturas fica algo íngreme.

Ponte de Bastei na Suíça Saxónia
Ponte de Bastei na Suíça Saxónia

Além destes 20 locais a visitar em Dresden e arredores, existem muitos outros sítios dignos de uma visita. Tanto na cidade como no Vale do Elba. Infelizmente, ou felizmente, Dresden não é uma cidade tão turística como a vizinha Praga. Muitos turísticas passam por Dresden de comboio de Berlim a Praga e nem sequer param, para só depois se arrependerem com as vistas que vão vendo da janela do comboio.

Dresden é uma cidade que merece uma visita dedicada, não por um fim-de-semana, mas sim por uma semana inteira. É viver uma mistura de história antiga, recente, e recreada. Quando pensarem em visitar a Alemanha, não se esqueçam de incluir Dresden nos vossos planos!

Por Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

2 comentários a “O que visitar em Dresden? 20 locais na cidade e arredores”

Não sabia que Dresden era assim, digamos, turística. Passei por lá uma vez e preferi nem sair da estação de trem. Quem sabe numa próxima, aproveito para conhecer alguns desses lugares. Tomara que o mundo reabra logo, maldito Corona. Saudações!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.