Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro

Este é um daqueles artigos que mais demorei a escrever, faz em Junho três anos desde que cruzei a fronteira de Montenegro com a Albânia com destino à Republica ex-Juguslava da Macedónia, e o motivo de ter demorado tanto tempo até escrever este artigo é bem pessoal, uma experiência de viagem que não desejo a ninguém.

De Kotor a Tirana

Tirana é a capital da Albânia, uma cidade que nem sequer fazia parte dos meus planos. Na verdade, só tinha o intuito de cruzar a Albânia com Ohrid em mente, nada mais. Afinal, que é que aquele país tem para oferecer? Pois, parece que muito mesmo! E lamento imenso em não o ter incluído nos meus planos.

Esta rota nos Balcãs anda a ficar cada vez mais popular, o transporte entre países é cada vez mais fácil, mas o mais cómodo é mesmo recorrer a meios privados, como transbordo entre hostéis. Foi o que fiz, provavelmente saiu-me ligeiramente mais caro, mas lembro-me que o preço estava bem em conta, fui directamente do centro de Kotor até ao meu hostel em Tirana.

A viagem para a Albânia até foi tranquila, com excepção na passagem na fronteira, em que as leis de Murphy estiveram em acção. Parecia que estávamos sempre na fila mais lenta. Mas ainda assim, tudo bem, até que passei a fronteira e activei o roaming…

Marginal em Kotor
Marginal em Kotor

No espaço de minutos recebi duas mensagem que completamente me destruíram, uma amiga minha tinha falecido. O cancro venceu. Infelizmente mais dia menos dia já esperava receber aquela notícia,  mas mesmo quando pensamos que estamos preparados mentalmente, não é bem assim. Custa sempre muito saber que alguém que nos é querido faleceu. Mais difícil é quando estamos a viajar completamente sozinhos, sem ter em quem nos apoiar. É um sentimento de solidão horrível. Mas ainda assim, esse sentimento não a iria trazer de volta, nada que eu pudesse fazer, e tentei escolher seguir em frente e tentar aproveitar a minha viagem da melhor forma possível. Mas ainda assim, não é nada fácil. Alguém que me era querido faleceu.

Apesar dos pensamentos negros que estavam constantemente na minha cabeça, ainda deu para apreciar a paisagem da Albânia até chegar à capital, Tirana. Assim que atravessei a fronteira parece que entrei numa realidade paralela, uma viagem ao passado. Até vacas vi junto a uma área de serviço, ainda consegui esboçar um sorriso pela ironia de ver vacas numa estação de abastecimento de carros. As estradas pareciam bem menos cuidadas do que em Montenegro, as casas com um aspecto bem mais pobre, e até às pessoas. Deu para sentir bem a diferença cultural entre estes dois países.

Onde fica Kotor?

Sugestões de alojamento em Kotor



Booking.com

Tirana

Infelizmente, e digo-o mesmo com pesar, não deixei qualquer espaço para conhecer a Albânia. A experiência no hostel não foi nada menos do que fenomenal, ainda conheci um português que vivia no Kosovo, e voltei a encontrar-me com pessoas com quem já me tinha cruzado em Kotor. Pelos vistos, é esta rota dos Balcãs é bastante popular.

Apenas deu para passear um pouco à noite na capital da Albânia, não deu mesmo para muito mais, mas pareceu uma cidade bem calma e tranquila. Mas no hostel falaram-me em boa vida nocturna, pelo menos no hostel souberam fazer uma excelente recepção, até podíamos nos servir no bar… E bem barato!

Lago Ohrid

Depois de uma conversa com os recepcionistas, fiquei cheio de vontade de voltar à Albânia, mas para visitar o país um pouco mais a fundo. É um país ainda pouco corrompido pelo turismo em massa, e as praias são fenomenais! Ou pelo menos foi o que vi nas fotos…

Devo dizer, que ainda com um transporte directo entre dois hostéis em países diferentes, a viagem ainda é algo demorada. Ir directamente de Kotor a Ohrid é possível, mas uma viagem bem dolorosa. Valeu bem a pena descansar uma noite a meio caminho, e até foi com uma reserva de última hora.

Onde fica Tirana?

Sugestões de alojamento em Tirana



Booking.com

De Tirana a Ohrid na Macedónia

Logo de manhã cedo tive de ir para a paragem dos autocarros e tentar um lugar para a fronteira, na verdade até a uma cidade já na Macedónia, Struga. E daí, tive a sorte de apanhar logo um taxi para Ohrid, e sem ter tentado negociar até me saiu bem em conta!

Curiosidade: O nome oficial da Macedónia é antiga República jugoslava da Macedónia (ARJM). E porquê? Porque a Grécia assim o quis! A Macedónia é uma região, com este mesmo nome, no norte da Grécia. E quando se deu a separação da Jugoslávia, o país que hoje em dia coloquialmente toda a gente conhece como Macedónia, tentou adoptar esse mesmo nome.

Qual o problema? O problema nem é o nome em si, mas o passado cultural grego, mais concretamente a parte referente a Alexandre, o Grande. Na capital da Macedónia, Skopje, existem imensas estátuas (recentes) dedicadas a essa época. É um pouco estranho ver tantos monumentos com aspecto milenar, mas que existem há pouco mais de 20 anos.

Este “confronto” acontece a vários níveis, por exemplo, enviei um postal de Ohrid para uma amiga na Grécia, e ela recebeu o postal com uma anotação (em grego) dos serviços postais, a informar que o nome “Macedónia” não é reconhecido como país. Para um grego, o nome Macedónia em referência ao país, é quase como considerado como um insulto.

Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro
Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro

Sugestões de transportes entre Kotor e Ohrid

A melhor forma é mesmo usando as oportunidades de transferência entre hostéis ou hotéis. Visto que é uma rota popular, existem várias alternativas, um pouco mais caras do que transportes públicos, mas bem mais seguras e confortáveis.

Dada a distância, e o facto de se passar por duas fronteiras, recomendo vivamente a fazerem uma paragem intermédia de uma noite, tipo como eu fiz, em Tirana.

De Tirana para a Macedónia fui de transportes públicos, não encontrei uma alternativa viável para Ohrid, então arrisquei em ir apenas até a uma cidade na fronteira, e depois improvisar. Correu bastante bem, porque mais uma vez, é uma rota popular.

Para grupos de 4 pessoas, talvez taxi seja também uma opção viável. Mas tenham em atenção que eles não podem atravessar a fronteira, portanto teriam mesmo de a cruzar a pé, e depois procurar outra alternativa. Fiz isso entre a Macedónia e a Grécia, mas isto fica para um outro artigo.

Como ir de Kotor a Ohrid, passando por Tirana

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

16 comentários em “Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro”

  1. Nossa Gil, imagino o desconsolo em estar sozinho numa estrada e receber a notícia do falecimento de uma pessoa querida, mas como você mesmo comentou, não havia o que fazer e a notícia chegaria a qualquer hora. Esse tipo de viagem nos mostra como podemos nos superar e encarar os desafios de forma positiva.

    1. Sim, verdade. Demorou-me imenso a escrever este artigo, ponderei imenso se deveria partilhar algo tão pessoal, mas é uma experiência que infelizmente pode calhar a qualquer um…

  2. Não acredito que o correio deixou uma anotação dessa no postal.. Kkk.. Gente.. Fala sério… E caramba, que triste… nem imagino o desespero que deve ser receber uma notícia dessa estando viajando e longe…

  3. que roteiro incrível esse da Macedônia e Montenegro, é um dos lugares que quero conhecer até o ano que vem, incluindo ainda a capital da Albania, já salvei nos meus favoritos! Abraços e meus sentimentos a sua amiga, muito triste!

  4. Nossa, deve ter sido bem difícil a viagem como pensamento na amiga que partiu. De qualquer forma parece que teve um ótima vivência e boas experiências. Tenho lido muito bem sobre a Albânia, fato que me surpreende!

  5. Estive o mês passado na Croácia e Eslovénia mas não consegui chegar aos países vizinhos. A Albânia está na minha lista, e agora só confirmei que terá que fazer parte da minha próxima viagem para aqueles lados!

  6. Minha tão sonhada primeira vez na Europa coincidiu com problemas inesperados que acabei colocando na mala, o que atrapalhou um pouco o prazer, mas nunca tive uma notícia triste como a sua, então é compreensível que tenha demorado a escrever sobre a viagem.

    1. Sim, levar problemas na mala afecta sempre a viagem, é um peso extra…, mas é algo que não dá para simplesmente esquecer. É uma experiência, e faz parte do todo da viagem…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.