Quanto custa viajar na Austrália por dois meses?

Uma das perguntas que me fazem com alguma frequência é em relação a gastos durante uma viagem. Cada pessoa tem o seu estilo de viajar, portanto os gastos serão sempre relativos. No entanto, dois meses a viajar dá para tirar algumas conclusões, e ao longo da minha viagem fui sempre registando quanto estava a gastar. Mas afinal, quanto custa viajar na Austrália por dois meses?

Transportes

No topo da lista de importância, estão os transportes. Mesmo que se queira dormir na rua, pedir na rua para poder comer ou até levar um saco de 20kg de arroz para sobreviver a arroz durante os dois meses…, vai ser sempre necessário dinheiro para chegar ao outro lado do mundo e viajar pelo país gigante que é a Austrália.

Ainda assim, se tiverem todo o tempo do mundo, podem tentar chegar a nado e a pé…, mas acho que nem vale a pena entrarmos em exageros…

Destroços de navio na ilha de Fraser
Destroços de navio na ilha de Fraser

Os voos

De realçar que estou a viver na Irlanda, portanto a minha viagem começou em Cork. Antes de decidir para que cidade iria voar, vi várias opções e tentei escolher uma companhia aérea que me trouxesse vantagens. Acumular milhas é uma grande vantagem, principalmente para quem voa com frequência, portanto foi um dos pontos a considerar. Mas para isso, mesmo quem viaja com frequência, só consegue juntar um número decente de milhas se usar o mesmo grupo de companhias aéreas com regularidade. Não é o meu caso. Apesar de ter algumas milhas da Flying Blue e da British Airways, não tenho assim tantas milhas quanto isso. Viver em Cork tem este tipo de desvantagens…

Ainda assim, a opção com a Flying Blue (KLM, Air France, etc) seria demasiado cara e a viagem demasiado longa. Teria de fazer uma pausa de um dia no Dubai ou Abu Dhabi, o que nem seria mau de todo e até cheguei a considerar. Mas depois comecei a pensar no destino. Em que cidade começar a viagem?

Encontrei voos de ida e volta para Sydney, desde Cork (com as várias escalas), a cerca de 1700€-2000€… Depois comecei a ver para outras cidades, e por recomendação de um amigo, acabei por encontrar um voo de ida e volta por 1000€ para Melbourne. Não seria com a Flying Blue, mas sim com a British Airways (onde tenho menos milhas), mas a diferença de preço fez toda a diferença. 700€ ainda são 700€ e é uma diferença bem significativa.

Então o voo acabou por ser Cork > Londres > Singapura > Melbourne, com um regresso para Lisboa. Melbourne > Singapura > Londres > Lisboa. Isto tudo por 1000€, certinhos!

Mas os voos não ficaram por aqui. Ainda teria de voltar à Irlanda, mas isso foi apenas um voo com a Aer Lingus de Lisboa para Dublin por 65€.

E os voos dentro da Austrália?

Cascata Mila Mila
Cascata Mila Mila

Tentei fazer tudo por terra, o único voo comercia que fiz foi de Adelaide a Melbourne mesmo no final da minha viagem, e porque queria aproveitar melhor a zona de Melbourne e precisaria de “poupar tempo” na viagem. Voei com a Tigerair, de Adelaide a Melbourne, e o custo do voo de aproximadamente uma hora custou 43€.

Os restantes voos que fiz na Austrália foram de lazer, um salto de para-quedas e uma viagem para uma ilha deserta, mas isso foram pacotes de viagem para descrever mais abaixo.

As viagens por terra na Austrália

Viajar na Austrália tem muito que se diga. Quando pesquisei sobre formas de viajar dentro do continente, as opções mais interessantes que encontrei foram de comboio e autocaravana.

Viajar sozinho de autocaravana seria bem dispendioso, e tendo em conta as distâncias entre cidades, seria também bem cansativo. Apesar de ter sempre onde dormir, fazer uma viagem de 10 horas sozinho a conduzir uma autocaravana seria de loucos… Ainda para mais, existiria sempre um risco acrescido de acidentes ou outras situações que poderiam atrasar a viagem.

Viajar de comboio foi a minha opção inicial, o problema colocou-se com o facto de na Austrália existirem várias companhias de comboio, e os bilhetes de “zona” serem algo caros em comparação com os autocarros. Além do mais, a rede ferroviária da Austrália fora das cidades é bastante limitada, o que iria condicionar a visita a alguns dos locais que eu queria mesmo visitar. Infelizmente tive de descartar esta opção também…

Ainda assim, existe uma rota de comboio épica que eu queria mesmo fazer, a rota The Ghan que atravessa o continente australiano de Norte a Sul. O problema desta rota, é que só existe um comboio semanal para cada sentido, e eu queria mesmo visitar dois locais no meio dessa rota. E das duas uma, ou faria apenas parte da rota de comboio e o resto de autocarro (ou outro meio de transporte), ou então teria de descartar também esta aventura por completo. Quando vi os preços de uma viagem com o The Ghan, a decisão tornou-se óbvia. Fui de autocarro.

Felizmente não faltam alternativas, o turismo na Austrália é bastante forte e popular entre jovens. No que respeita a autocarros acabei por optar pela Greyhound, que têm uma rede bastante boa nas zonas que queria visitar. Existem outras agências, mas acabei por optar por esta pois é das mais conhecidas. Comprei 3 bilhetes de livre trânsito, cada um com uma validade para cerca de 3 meses.

Porquê 3 bilhetes? Que a forma deles controlarem o uso dos bilhetes é que só os podemos usar numa direcção, e temos de escolher quais as rotas que vamos tomar. Então comprei um bilhete de Melbourne a Cairns (norte da Austrália) que incluía um pacote de 10 noites numa rede de hosteis (702,78AUD). Um bilhete de Cairns a Alice Springs (no centro da Austrália) (382,50AUD). E um bilhete de Alice Springs a Adelaide (219,30AUD). E com isto, fiquei com o trajecto definido e assegurado, ainda antes de partir. Ao todo gastei cerca de 1305AUD, cerca de 940€.

Carros alugados

Apesar de ter bilhetes de autocarro para viajar livremente (no mesmo sentido), por duas vezes que tive de alugar carro. Uma dessas vezes na ilha Magnetic Island, pois uma das coisas que queria mesmo fazer era ver o pôr-do-sol sobre o mar, o que não é possível da costa Este da Austrália, a não ser que se esteja num barco ou numa ilha…, e a segunda vez foi para fazer a Grande Estrada do Oceano (Great Ocean Road) no sul da Austrália. A 4×4 que aluguei em Magnetic Island custou-me 90,90AUD (61€), mais o combustível claro, isto por dois dias. Enquanto que para a Grande Estrada do Oceano paguei 206,49 AUD (145€) por 5 dias, que deu para aproveitar também para ir a certas partes de Melbourne e para regressar ao aeroporto…

Mas em combustível ainda gastei 120AUD (80€), ainda foram vários quilómetros a conduzir, saiu-me mais caro do que uma excursão, mas em vez de fazer tantos quilómetros a correr num dia, demorei quase três com imensas paragens e descontracção. Foi uma decisão consciente, depois de tantas excursões e tantos autocarros, já precisava de desintoxicar e andar um pouco sozinho…

Pôr-do-sol nas Whitsundays
Pôr-do-sol nas Whitsundays

Transportes públicos e outros gastos

No que respeita a transportes públicos, ainda tive de usar algumas vezes nas cidades, principalmente em Sydney, e uma vez ou outra acabei por ter de usar taxi. Em Melbourne os eléctricos são grátis na zona centro da cidade! Excelente para aproveitar e poupar nos sapatos! Ao todo, a contar também com o ferry para a Magnetic Island (que custa 32AUD, cerca de 20€), gastei à volta de 140AUD (93€). Nada mau, para dois meses a saltitar de um lado para o outro!

De realçar que na zona de Sydney dá para ir de comboio até à zona das Montanhas Azuis, mas depois lá só mesmo à boleia, não sei se existem transportes que levem os turistas a saltar de um pouco para o outro. No entanto, nesse mesmo comboio dá para visitar o Parque Featherdale, que foi exactamente isso que fiz. Da estação de comboio, depois é só mais um pouco de autocarro.

Turismo

Quanto custa viajar na Austrália por dois meses?
Quanto custa viajar na Austrália por dois meses?

E é aqui que grande parte do meu dinheiro foi bem investido… Começando logo no primeiro dia, em que fiz reservas para a duração toda da viagem… Não era bem a ideia inicial, mas pronto, acabei por cometer esse disparate (e daí talvez não). Ao todo gastei 2160€ num pacote de viagens que incluiu imensas actividades, desde duas noites num veleiro a um salto de para-quedas, entre muitas outras coisas!

Depois em diversas outras actividades, como algumas excursões e museus, ao todo gastei 492AUD (330€). Aqui incluo também fotografias que comprei dessas mesmas excursões.

Actividades e extras

Das actividades que valem mesmo a pena realçar neste relatório são alguns dos extras que acabei por pagar. Por exemplo, para a excursão à ilha de Fraser, decidi de última hora ficar um dia extra na ilha (das melhores decisões que alguma vez fiz), e só por isso tive de pagar 100AUD extra, cerca de 67€.

Para o salto de pára-quedas também acabei por adicionar um extra, como queria fotos e vídeo de uma perspectiva frontal, sem ser fotos de câmara no pulso, tive de pagar extra para ter uma segunda pessoa a filmar tudo à minha frente. Mais uma vez, uma das melhores decisões que fiz, mas também paguei por isso… 294AUD pelo extra do salto, 192€, mais as fotos de vídeos que deu mais uns 70 AUD… Agora que vejo bem estes valores, acho que foi mesmo caro… Mas é a tal coisa, saltei sobre a Grande Barreira de Coral e aterrei numa praia. Isso também tem preço, e alto…

E no dia seguinte, logo depois de ter saltado de um avião, lá fui eu para o fundo do mar! Grande Barreira de Coral, onde fiz mergulho pela primeira vez! O primeiro mergulho do dia estava incluído no pacote inicial, mas o segundo mergulho já era opcional. No entanto, snorkel seria gratuito. Mas como gostei tanto da experiência de mergulho, que optei por fechar os olhos e pagar 55AUD (37€) pelo segundo melhor, que por sinal até correu bem melhor que o primeiro!

Outra actividade pela qual paguei extra, pois não fazia parte do pacote inicial, foi uma aula de surf em Surfers Paradise…., sim, grande cliché, mas teve de ser…, foram 45AUD (30€).

E por fim, a última actividade fora dos planos foi um passeio nocturno pela floresta tropical na zona do Cabo Tribulation. Foi engraçado, mas por 45AUD, foi um pouco carote…

Alimentação e Alojamento

Agora que olho para as contas, com olhos de ver, é que reparo que de facto como imenso e adoro dormir! Excluindo o pacote de férias que comprei, o grupo de gastos da alimentação é o mais elevado de todos! 1096AUD!! (747€) Em dois meses, nem é assim tão mau…, e fartei-me de cozinhar nos hosteis e levar comida comigo para poupar algum dinheiro. Parece que foi uma decisão acertada, não tinha ideia de que a comida era de facto a maior fatia nos meus gastos… De ter em conta também que só jantei fora uma ou duas vezes, isto é, jantar em restaurante. De resto era ou comida mais barata, ou cozinhava no hostel.

No que respeita ao alojamento, de facto tinha opções mais baratas, como acampar, mas por 8 semanas a passear pela Austrália, 740AUD (504€) foi um bom valor. Claro que algumas noites estavam incluídas nas experiências, como duas noites na Ilha de Fraser mais duas noites no hostel, ou as duas noites que dormi no veleiro e mais 10 noites que estavam incluídas no pacote de viagens de autocarro de Melbourne a Cairns. Mas cerca de 500€ pelas restantes noites, não fica mais do que 10-15€ por noite! Nada mau!

Parte das despesas de alojamento vão para a lavagem de roupa, pois é, dois meses na estrada sempre com a mesma roupa, é bom que a lave de vez em quando. Por acaso tinha tudo muito bem organizado, se sabia que iria ficar uns 2 ou 3 dias em zonas mais isoladas, como num veleiro ou numa ilha deserta, então já sabia que tinha de lavar a roupa antes de ir. Cheguei ao ponto de criar um calendário para lavagem da roupa…, sim, é mesmo verdade… Ao todo lavei a roupa 8 vezes, em média uma vez por semana, pois andei a viajar com muita pouca roupa, portanto tive de fazer lavagens mais frequentemente… Com detergentes, lavagens e secagens, gastei 60,5AUD (41€).

Sky Dive em Mission Beach
Sky Dive em Mission Beach

Outras despesas

Na categoria de outras despesas entram coisas como compras variadas que fiz, por exemplo uma toalha de banho porque me roubaram a que levei… vá-se lá perceber por que raio alguém quer uma toalha de banho, mas enfim. Também tive de comprar cartão SIM, um cartão SD para a GoPro e carregar com dinheiro o telemóvel algumas vezes. Depois, para o final da viagem comprei algumas prendas e isso também entrou na soma de outras despesas.

Ao analisar a lista de despesas, algumas das compras foram apenas mercearias e esses gastos deveriam estar incluídos na parte da alimentação, mas como não tinha isso detalhado optei por juntar esses gastos pouco definidos à lista de outras despesas. Ainda gastei um pouco com estes extras, 670AUD (458€).

Custo do visto de turista para a Austrália (para um Português)

Esta é uma das perguntas que me fazem com alguma frequência, quanto custa o visto de turista para a Austrália? A resposta é simples, é grátis! A par com outras nacionalidades, os portugueses podem viajar por 3 meses na Austrália com um visto de turista gratuito, que se deve obter antecipadamente online.

O processo é bem simples, só visitar o site do Departamento de Imigração da Austrália, e seguir as instruções. O nosso cantinho aparece na pequena lista para o visto “eVisitor”. Numa questão de minutos, creio que até menos de 5, recebemos um email com a aprovação automática. Foi bem fácil e sem pagar nada. Depois foi só tratar dos voos, claro…

Total aproximado de gastos

Então, para colocar aqui um valor aproximado do que gastei, com os voos e as viagens por terra incluídos. Em dólares australianos gastei aproximadamente 3824 AUD, o que dá cerca de 2618€. Já gastos directamente em euros, tipo pagos com o cartão, o valor foi um pouco acima disso…, cerca de 3043€. Ou seja, ao todo devo ter gasto algo pelos 5660€.

Tabela de gastos
Tabela de gastos

Para ser sincero, quando me comecei a preparar para esta viagem estava a contar gastar cerca de 10 000€, as contas que tinha feito foram apenas por alto, não fazia ideia do quanto poderia gastar mas estava preparado para uma Austrália mais cara. Talvez esta ideia com que tinha da Austrália foi o que me fez, inconscientemente, gastar menos dinheiro.

O que é que é certo, é que a rota que fiz tem a reputação de ser uma das rotas dos “mochileiros ricos“. Existe muito turismo direccionado a quem anda de mochila às costas, e não faltam actividades com rali dos bares e outros tipos de festas. Uma vez por acaso não faz mal a ninguém, mas com regularidade…, não há conta bancária que aguente.

Muitos dos mochileiros que encontrei são jovens que foram para a Austrália com um visto especial de turismo e trabalho, um acordo que o governo australiano tem com algumas nações, muito popular para irlandeses e britânicos, e que também tem acordo com Portugal! Pena ser só para quem tem até 31 anos…, senão aproveitava a oportunidade… Com este visto, muitos jovens aproveitam para viajar durante um ano inteiro, com trabalhos temporários no decorrer das suas viagens, como em hosteis, bares e turismo. Desta forma conseguem continuar a viajar, e vão sempre financiando de alguma forma as suas viagens.

Em forma de conclusão, olhando apenas para o total de gastos pode parecer muito para uma experiência de dois meses, mas é importante também interpretar os meus gastos. São baseados apenas na minha experiência pessoal e forma de viajar, provavelmente algumas das actividades que fiz não fazem o vosso estilo, tal como os sítios que escolhi para dormir e afins. Este artigo é apenas para mostrar mais uma perspectiva do quanto uma viagem de dois meses pela Austrália pode custar. Para outra pessoa, os custos totais poderão ser bem diferentes dos meus.

E com isto, só tenho mais uma coisa a dizer, foi uma viagem fantástica em que só me arrependo de não ter feito antes. Se tiverem a oportunidade, recomendo vivamente que se aventurem.

GuardarGuardar

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: