Um passeio de 5 dias por Istambul

Viagem para Istambul, parecia que não era desta mas foi! Fora os eventos que relatei nos posts anteriores, tudo acabou por correr bem e já estou em terras Lusas bom e com saúde! Dado que prevejo um post longo, vou separá-lo por dias…

Primeiro Dia

Ida para o aeroporto…, apanhar o bus às 6 da matina e ir para a fila do check-in…, outra vez… Chega a minha vez, e a senhora do check-in pergunta-me como se pronuncia o meu apelido – Sousa – ao que começo logo a rir a digo logo de seguida, alto e bom som,  “It is Sousa, not Susa” ao que a senhora do checkin ao lado começa a rir descontroladamente. Em grego, “Y” em minúsculo representa-se como “u” e OY tem o som U, “Susa” significa “cavalinho” (levantar da roda da frente da mota/bicicleta).

Faço a bela da viagem até Istambul, tento passar pelo controlo de passaportes onde fico a saber que tenho de pagar visa…, pensava que membros da UE podiam entrar livremente, pois os gregos e os franceses podem (amigos meus foram lá), mas tugas têm de pagar 15€ de visa, sem qualquer controlo…, porreiro… Faço o meu primeiro levantamento na moeda local e sigo para o metro em direcção ao centro da cidade queimar tempo enquanto o meu host não me pode ir receber.

A viagem de tram foi algo fenomenal, nunca pensei encontrar gente assim tão simpática, aliás, nunca encontrei mesmo! Um velhote que nem sabia inglês meteu conversa comigo a tentar perceber de onde sou e a tentar ajudar-me na saída, ao que um rapaz que estava ao lado me começa a ajudar na tradução e a dar-me dicas! Primeiras horas naquela magnifica cidade e começo logo a levar com uma recepção igualmente magnifica!

Saio em Sultan Ahmed, dar uma vista de olhos pela mesquita e pela área circundante… ter de pagar para deixar os meus “vestígios”…, e encontrar pessoal a vender água por todo o lado! Em Portugal temos os quéfrô, na Grécia os vérynaíce e em Istambul aparentemente têm os su (água em Turco). A zona é bastante agradável e totalmente diferente daquilo que eu esperava mas para melhor! O parque foi o que mais me surpreendeu, não esperava encontrar em Istambul uma cidade tão verde, ainda para mais após 6 meses em Atenas…

Após umas horas, lá cruzei o canal e fui para a Ásia! A primeira vez que sai da Europa 😛 Como se contasse 😛 Conheci o meu host e o sofá onde iria ficar nos dias seguintes e depois de um duche lá vou eu cumprir dois dos meus três objectivos para Istambul! Jogar backgammon e fumar nargilé com um turco! Com ele e com uma amiga dele. E para não variar muito…, alguma sorte ao jogo 😛

Após a tarde na esplanada a fumar nargilé, experimentar ostras com arroz (MUITA BOOOOOOMMMM) que vendem nas ruas e a jogar tavla (backgammon), fomos sair para a zona de Taksim, TANTA GENTE NA RUA!!! CA MEDE!!! Uma zona mesmo agradável repleta de bares, restaurantes e algumas discos…, e com muita gente nas ruas quase equivalente a uma noite de Santos Populares!

Para finalizar o primeiro dia em grande, o meu host levou-me a um restaurante num terraço (salvo erro até é esse o nome do restaurante) onde ceiámos com vista para o Golden Horn! Que vista magnifica! Chegada a casa, ainda falámos durante um bom bocado, eu estafado mas com uma vontade parva de falar com o meu colega de casa, sim, colega de casa! Foi assim que me senti em Istambul tal não foi a recepção!

Mesquita Azul
Mesquita Azul

Segundo Dia

Nada melhor para começar um dia que um brunch! O meu anfitrião convidou-me para um brunch em casa de uns amigos dele, que acabaram por me tratar de tal forma que também com eles me senti como amigo de longa data! Umas duas horitas a comer e a falar e a provar delicias da Turquia, pela primeira vez bebi chá ao pequeno almoço e gostei bastante, acho que vou continuar 😀

Voltamos para o barco, rumo à parte Europeia da cidade, quão fácil é passar da Europa para a Ásia e vice-versa 😛 Fomos ao Bazar das Especiarias, tirei bastantes fotos àquelas bancadas cheias de cores e cheiros do Oriente, uma vida como nunca vi e um ambiente que me apaixonou! Ao lado do Bazar das Especiarias existe um parque bastante agradável, também muito pouco Europeu e que também me fascinou, principalmente pela venda de sangue-sugas! Jazus!!! Nesse parque voltei a beber um Turkish Coffee e voltei a jogar backgammon 🙂 Um bocado em câmara lenta na perspectiva dos turcos, but who cares? I am Portuguese, not Turkish 😛 E durante o resto do dia, mais foram os “shots” de chá, parece que não mas acaba por refrescar mais do que uma água bem fresca 🙂

Voltamos à Avenida que começa em Taksim e vai até à Torre, mas desta vez durante o dia…, e mais uma vez, atestada de gente! Aquela Avenida não dorme, e o facto de ser pedestre ainda mais assustadora fica tal não é a quantidade de gente que passa por ali. Não sou muito adepto de grandes concentrações de pessoas, mas devo admitir que fiquei apaixonado por aquele ambiente. Nesse mesma avenida acabámos por lanchar-jantar, num restaurante ao lado de uma Universidade ou Escola ou que raio é aquilo…, lá tive de comer carne…, não gosto de carne, mas se estou num país gosto de provar os seus sabores…, foi bom, mas continuo a preferir outras coisas 😛

Após o jantar, voltámos a casa, outra vez de regresso à Ásia, e enquanto o meu anfitrião foi fazer algum desporto fiquei em casa daqueles amigos que nos ofereceram o brunch onde passei uma horita por lá a conversar com eles… Após isso, e para finalizar a noite em grande, fomos a um parque junto ao mar beber umas cervejas e falar! Falámos de tudo mesmo e passámos umas boas duas horas lá que terminaram com uma passagem por uma gelataria onde comi um dos melhores gelados que comi até hoje, algumas bolas de gelado banhadas a chocolate quente (que solidificou instantaneamente ao contacto com o frio). Excelente!

Terceiro Dia

Visita à Peninsula histórica, again…, mas com mais calma! Voltei ao parque que vi no primeiro dia mas desta vez em vez de apenas o cruzar ainda dei umas voltas para o conhecer melhor onde reparei o quão “preparado” para a cultura local ele está…, Istambul é um mix de religiões e culturas surpreendente, conseguem encontrar raparigas totalmente descontraídas sem se preocuparem com preconceitos de roupa e visual e conseguem encontrar raparigas (ou mulheres) em que apenas conseguem ver os olhos, no entanto ninguém fica escandalizado uns com os outros (talvez apenas os turistas), tudo vive em harmonia! No parque é fácil encontrar zonas para namorados, pequenas parreiras com tiras de madeira laterais a proteger dos olhares mais indiscretos em que é possível aos namorados verem quem se aproxima no entanto não é assim tão fácil identificar de fora quem é que está a namorar.

Voltei à Mesquita Azul, desta vez entrei mesmo, tive de tirar os sapatos e o que encontrei lá dentro foi surpreendente! Nada do que a religião cristã nos habituou, lá dentro crianças brincam, pessoas tiram fotos e falam descontraídamente e há zonas de oração separadas para homens e mulheres onde já não é permitido o barulho. Um local sagrado onde não te sentes preso à religião e ao mesmo tempo a religião de limita, estranho, não?

Saio da Mesquita Azul e vou ao Bazar Histórico junto à mesma, aproveitei e comprei tabaco para Nargilé, Laranja 😀 Vamos lá ver se presta para alguma coisa…, o curioso da minha caminha foram os meus sapatos, mais do que um engraxador se ofereceu para os limpar de borla LOL! DE BORLA, deviam estar pouco sujos…

Como estava na Península Histórica, porque não tentar perder-me? Agarrei o mapa, vi um boneco qualquer e segui nessa direcção sem voltar a agarrar no mapa! Passei por um cemitério que supostamente estava enterrado algum Sultão que eu não encontrei, depois segui em direcção a esse boneco ao que deparo-me com o Grand Bazar! Outro Bazar Magnífico! Aquilo deve estar um bocado orientado para os turistas, no entanto não deixa de ser fenomenal a forma como aquilo é e o que se sente lá dentro. Andei, andei, andei mas acabei por nada comprar 😛 Não sou turista, sou visitante 🙂 Do Grand Bazar segui pelas ruas de comércio local já fora do mesmo onde se nota um preço BEM inferior… e sem querer voltei a deparar-me com o Bazar das Especiarias 😛 A volta que dei sem me aperceber 😀

Enquanto andava a passear aproveitava para pensar como raio iria surpreender o meu anfitrião como forma de agradecimento, ao que me recordo que no dia anterior ele queria oferecer-me melancia…, comprei eu a melancia para ele 🙂 Curiosamente, chego a casa primeiro que ele…, ele ao entrar diz: “Gil, I have some fruits for the dinner” ao que eu respondo… “Me too…, check in the kitchen…“, o gajo voltou para a sala mesmo contente com a surpresa! Algo simples, mas pessoal! É por isto que eu adoro CS, não é preciso uma coisa grandiosa, é preciso é que seja pessoal!

Mas o dia não ficou por aqui…, voltámos a cruzar o canal rumo à Europa! A caminho de Taksim (again), parámos numa tasca bem pequena, tão pequena que apenas tem uma mesa e 3 cadeiras 😛 E é na rua 😛 Comemos “meatball withouth meat”, algo MUITO picante mas MESMOOOOOOOOOOOOOO MUITA BOM!!! Thanks Ozan, for this! Acompanhado por um sumo de…., pimentos ou pimenta ou que raio era, interessante mas não tão bom 😛 Tivemos de “apagar” o fogo com umas bjecas a seguir 😀 Noutro bar num terraço (ando mesmo fã de bares em terraços) com outra vista magnífica! E para terminar a terceira noite em grande…, fomos a um bar de música gipsy, ambiente super-agradável! Essa era a noite de música grega, algo interessante e caricato ao mesmo tempo para mim…, visto que um amigo de uma rapariga que estava connosco veio ter comigo e disse “Geia sou fili” (Olá amigo – em grego) ao que eu olho para os meus amigos turcos à espera de uma tradução…, o meu cérebro já estava preparado para descartar grego na terra “rival” à Grécia 😛 E após isso, voltar para casa…

Quarto Dia

Algo que me escapou quanto ao terceiro dia, perguntei no fórum do grupo CS Istanbul se alguém me queria acompanhar às ilhas junto a Istambul, acontece que apenas uma mulher de 46 anos me respondeu e eu mesmo acabei por mudar de ideias, apenas tinha 5 dias em Istambul e ia desperdiçar a oportunidade para ir para MAIS uma ilha?? Mas ela juntou-se na mesma…

Fui (novamente) até Taksim, esperei por ela uns 45 minutos (adoro pontualidade…) até que ela finalmente apareceu, como os meus planos eram apenas desfrutar da cidade, decidimos ir até à torre (atravessar a avenida toda novamente) com calma e depois logo procurávamos outro destino, pelo caminho parámos para um cházinho e para uma conversa…, e após a torre outra paragem para um sumo natural (e ela começar a reclamar que é caro demais…).

Descemos até Karaköy, e enquanto ela foi a um internet café, eu fui procurar um mapa para ela num posto de turismo…, ao voltar, outra cena por causa de preços. Ela SABIA o preço antes de usar, porque raio reclamou no final? 😐 Figuras e eu a aturar aquilo…, saímos dalí e eu sugiro irmos até a um bazar de cafés (onde fumei nargilé no primeiro dia) para bebermos um chá ou um café turco…, ela volta a fazer cena por causa dos preços (a esta hora eu já estava com ela pelos cabelos…), ainda ficámos lá um bocado e depois seguimos para o Palácio onde o Ataturk morreu, azar dos azares…, chegámos após o palácio fechar. Decidimos ficar por lá, beber mais um chá (acho que os meus rins nunca funcionaram tão bem…) e mais uma vez…, ela reclamou! Desta vez com alguma razão, os empregados NÃO falam inglês e o café é no parque do palácio…, zona turística e eles não falam inglês? Mas a parte REALMENTE parva, é que se eles não falam inglês…, porque raio ela reclama com ELES em INGLÊS????

Acompanhei-a até Taksim, onde supostamente ela se iria encontrar com o seu anfitrião, bebemos uma cerveja e eu sigo para casa! O meu host estava cansado, eu estava farto dela, portanto nessa noite ficámos por casa!

Uma vista sobre o Canal
Uma vista sobre o Canal

Quinto Dia

Último dia em Istambul…, e aqui eu dei provas do quão masoquista eu consigo ser…, encontrei-me com a gaja novamente! Na Península Histórica! Fui visitar a Hagia Sophia por dentro, um bocado caro (10€) mas não deixou de ser interessante, a história do local é fantástica e ainda colaborou para a raiva que tenho à Igreja Cristã! Além da merda que eles fizeram com o Parthenon, com a Hagia Sophia as outras religiões conseguiram provar serem mais respeitadoras da arte alheia!

Hagia Sophia foi construída inicialmente como uma Catedral Cristã, encontram-se vários vestigios na Igreja relativos a Nossa Senhora, Cristo e outros símbolos religiosos da Igreja Cristã, no entanto…, foi apoderada pelos Muçulmanos (acho que foram eles) e em vez de fazerem o que a Igreja Cristã fez com o Parthenon de destruírem aquilo que NÃO os identifica, eles MANTIVERAM! Querem melhor sinal de respeito que este? Tudo o que vêem degradado dentro da Hagia Sophia relativo à Igreja Cristã deve-se à falta de conservação e não a destruição, é fantástico estar dentro de uma Catedral que mais parece uma Mesquita e que tem simbologia de ambas as religiões! Que Poder!

Depois demos uma volta até ao Castelo, aborreceu-me entrar àquela hora…, a barriga já dava sinais de fome e não tinha particular interesse em entrar, ela também não, decidimos ir almoçar 🙂 Após o almoço fomos à Basílica Cisterna, F A N T Á S T I C O!!! Metade do preço de Hagia Sophia, mas o dobro da surpresa! Algo MESMO fantástico, só mesmo vendo (e recomendo vivamente!), nem sequer sei o que dizer daquilo senão mesmo que é uma Basílica enorme DEBAIXO da terra! Com água no fundo e PEIXES! Algo incrível mesmo!

Após a Basílica Cisterna, fomos até ao Parque (novamente) onde eu comecei a aturar os lamentos da gaja…, e comecei a perceber o porquê da raiva dela…, ex-namorado turco que sabia que ela estava lá e nem lhe disse nada…, eu fui o saco de boxe…, tenho karma para isto… Terminámos com um gelado na Colina com vista para o Canal, após isso fui para Kadiköy ter com o meu anfitrião e preparar-me para a noite.

Jantar leve em casa, passar por uma loja para comprar cerveja…, e rumo ao parque junto ao mar! Cumprir o meu terceiro objectivo em Istambul! CS Meeting! Noite fantástica onde fiquei a saber que afinal sou russo, ou pelo menos é essa a pronuncia que o meu Inglês soa quando estou mais tocado…, infelizmente essa noite também foi sinal de que a minha passagem por Istambul estava a acabar…

Chegada a casa, despedir-me do meu anfitrião e passar umas horitas a dormir…, acordar cedo…, atravessar o canal para o lado Europeu (última vez nesta viagem) e aproveitar os últimos momentos em que vejo ambos os lados de Istambul em simultâneo. Apanhar o tram, passar pela zona de Sultanahmed e dar um breve olhar para as Mesquitas que fazem de Istambul um postal de entrada! Chegada ao aeroporto, encontrar mais tugas que só sabem ter conversa de “como está o tempo” e decidir cagar neles e voltar para Atenas…, mas que viagem! A melhor destes últimos seis meses!

Istambul ficou bem marcado! Cidade a voltar!

PS: Elma quer dizer Maçã em Turco 😡

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

5 thoughts on “Um passeio de 5 dias por Istambul

  • Agosto 2, 2009 at 8:16 pm
    Permalink

    Porra… Leio depois, mania de fazer posts longos e secantes…

  • Agosto 2, 2009 at 8:17 pm
    Permalink

    E SEM FOTOS…

  • Agosto 3, 2009 at 5:39 pm
    Permalink

    Uma saída em grande. Uma viagem que deve ter deixado boas recordações (à excepção da cota chata).Mesmo que nem tudo possa correr conforme inicialmente se pensou, o mais importante mesmo é experimentar novas sensações, conhecer novas pessoas, outras mentalidades…enfim, acaba mesmo por ser um grande enriquecimento a nível pessoal.
    Então……..bem aparecido sejais nesta terra onde nada acontece.
    boa semana
    abraços

  • Agosto 4, 2009 at 8:18 pm
    Permalink

    excelente !!! ate me abriste o apetite… pro ano tenho o meu interail… Mete fotos sff…

  • Agosto 5, 2009 at 9:44 pm
    Permalink

    sempre quis ir a constantinopola, bizancio.. istambul… adorei ler*

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: