Passar a Páscoa na Grécia

Πάσχα quer dizer Páscoa em Grego, lê-se algo como Pás-Ha ou algo parecido, e é o evento mais importante para os Gregos no ano todo, talvez o equivalente ao nosso Natal.

Como devem ter reparado pelo post anterior, a minha Páscoa não correu como previsto e parece que foi algo tipo Karma…, quase tudo me correu mal neste fim-de-semana, ora vejamos…

Primeiro o incidente com Istambul, depois decidi passar o fim-de-semana numa cidade perto de Atenas em casa de um Francês que conheci pelo couchsurfing, por sorte (dele) o patrão dele deu-lhe 1 semana de férias pela Páscoa e por mais sorte (dele) e azar meu encontrou um bilhete em última hora para ir para França passar uma semana de férias…, outro plano furado…

No Sábado decidi ir ver de bilhetes de barco para Hydra, mas para não variar muito…, só havia bilhetes para ir mas tudo cheio para voltar…, mas digamos que a experiência até foi gira, ainda não me habituei à linguagem gestual dos gregos e por vezes passo por situações embaraçosas…, o gesto que representa um não é diferente do nosso, em vez do tradicional abanar da cabeça fazem algo como um gesto preciso mas não muito rápido com a cabeça de baixo para cima, algo como nós fazemos para dizer “é ali“…, e foi isso que entendi (e acontece-me quase sempre). Quando perguntei se tinham bilhetes de ida e volta para Hydra a resposta foi um não gestual Grego, que eu interpretei como “é ali“, achei estranho pois sabia que aquele balcão é o de vendas para Hydra mas podiam ter mudado, olho para trás para ver para onde ela indicava e perguntei Where? E aí é que ela me diz que já está tudo cheio, foi nesse preciso momento que me apercebi da figura de estúpido que fiz 😡

Depois pensei em ir a Korinthos, já tinha planeado ir lá num fim-de-semana passado  mas “perdemo-nos”, mas desta vez consegui lá chegar 😀 Fui de comboio e depois apanhei um taxi até à zona dos calhaus, é curioso como as fotos funcionam…, paisagens da treta parecem sempre fenomenais, paisagens que nós ficamos totalmente deslumbrados ficam sempre banais e até dá pena mostrar a amigos e dizer aquela merda é surreal e eles olharem com um ar de indiferença…, pois…, Korinthos é giro…, é porreiro…, mas não é fenomenal. Não perdi o dia, não desperdicei dinheiro, mas fui com expectativas demasiado altas para o que vi, mas foi giro.

Quanto à viagem em si…, bem, nos últimos dias tenho andado a pensar em projectos de vida e num momento de loucura pensei:

Já visitei 10 capitais, já estive em 12 países (se contarmos com uma escala de duas horas em Zürich fazem 13 países), que tal ter como objectivo de vida visitar todas as capitais do Mundo?

Este momento de loucura durou ainda umas horas…, ontem quando estava em Old Korinthos decidi voltar a pé para a estação de comboios, 6kms a pé, e pensei nisto novamente…, e fiz umas pequenas estatísticas…, se eu visitar em média 10 capitais por ano eu vou demorar cerca de 18 anos e meio a visitar os cerca de 197 países…, se tenho 26 anos, lá para os 50 já vi as capitais todas, mas com um bocado de sorte já tudo mudou novamente…, mas eu nunca vou visitar 10 capitais por ano, iria precisar de viver até aos 80 ou 90 anos para poder ver as capitais todas, e a meu ver isso já é tempo de vida a mais.

Ruínas em Corintos Antigo
Ruínas em Corintos Antigo

Durante aqueles 6kms a pé (que poderiam ser muitos mais, mas que já conto mais à frente), fiquei a pensar nesta merda, viver tanto tempo? Mas quero lá eu viver tanto tempo?

Quase todos os jovens já pensaram pelo menos uma vez em suícidio, uns naqueles momentos dramáticos em que pensam que o mundo está todo contra eles porque a tshirt favorita ficou manchada de ketchup, outros porque de facto têm alguns motivos para estarem deprimidos. Ora bem, eu estou a viver um período dramático de ketchup na tshirt, e como gosto de ser diferente pensei na forma indicada para suicídio…

  • Meter-me na droga e apanhar uma overdose? Népia, eu quero algo com mais glamour.
  • Corda no pescoço, atirar para baixo de um comboio, veneno e afins e sempre acompanhado de nota? Também não, é demasiado batido…, não quero algo já tradicional no mundo dos suicidas…
  • Começar a fumar 2 maços de tabaco por dia até me lixar todo? Demasiada gente nas estatísticas, quero algo original.

Como sou um gajo que gosta de fazer coisas um bocado mais além, acho que vou levar a sério a ideia do viajar pelas capitais todas do mundo, mas vou adicionar um critério, vou tentar fazer isto mas fazendo couchsurfing sempre que possível 😀 Tantos amigos meus que acham isto perigoso, ora, sempre é uma forma original de suicídio 😀 E enquanto ia a pé durante aqueles 6kms, também pensei, e porque não ser mais amigo do ambiente e tentar fazer hitch-hiking? Sempre é menos um carro a poluir 😀 E o risco aumenta (e o interesse também) 😀

Agora a sério, pensar em suicídio é um desperdício de tempo, e não vos quero privar do prazer de terem um amigo com a minha beleza 😛 Mas ando a equacionar mesmo a sério em usar as minhas férias para me divertir pelo mundo, nada de demasiado pensado mas tentar fazer as coisas com o maior divertimento possível! Gosto demasiado de viver para me fechar 12 meses por ano num só país 😉

Ahhh, e quase que me esquecia…, quanto aos  6kms…, ainda equacionei ir visitar a Acro-Korinthos, é um castelo (ou algo do género) no topo da montanha a 4kms da Old Korinthos, e pensei em fazer isso a pé…, mas olhei tantas vezes para o topo da montanha que pensei “são 17:00, aquela treta é sempre a subir…, vou chegar todo roto lá acima…, e depois tenho de voltar? 4kms para cima e depois 4+6 para baixo? Naaaaa” e desisti da ideia 😡 Tenho tempo para ver mais paisagens deslumbrantes na Grécia 😛 Deixem-me conservar esta barriguinha sexy mais um pouquinho 😛


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Passar a Páscoa na Grécia

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

One thought on “Passar a Páscoa na Grécia

  • Abril 23, 2009 at 12:36 pm
    Permalink

    Faz como eu e estabelece objectivos mais modestos. O meu é visitar todos os países da Europa.
    Bem mais fazível, e a este ritmo não preciso de muito anos (já fui a uns 12)

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: