Na parte norte da Ilha da Madeira

A semana que passei na Madeira definitivamente não chegou para conhecer a ilha, é bem maior do que parece e com muito para ver. Os acessos também tornam as distâncias parecerem bem maiores. Num dos dias fomos passear pela parte norte da Ilha, o destino foi as famosas piscinas naturais de Porto Moniz, mas como tínhamos tempo fizemos as nossas paragens pelo caminho para tirar fotos. A quantidade de túneis é surreal, e ver as a estrada velha então ainda pior! A fotografia abaixo é a Queda de Água do Véu da Noiva, onde dá para ver parte da estrada velha destruída. Agora imaginem conduzir junto àquelas falésias 🙂

Véu da Noiva
Véu da Noiva

Hoje em dia o caminho pelo norte da ilha é bastante bom, não me recordo ao certo quanto tempo demorámos de Machico a Porto Moniz, mas julgo que se faz em cerca de uma hora passando por vários túneis, sendo um deles o maior de Portugal, o túnel do Cortado (3,168 m). No regresso passámos pelo túnel Eng. Duarte Pacheco, e tenho a dizer que mete algum respeito, é um túnel já antigo por onde passa muita humidade, em certas partes parece que está a chover dentro do túnel! Perfeitamente seguro, mas bastante estreito também, foi engraçado atravessar aquele túnel de carro 🙂

O ponto alto do dia foi mesmo as piscinas de Porto Moniz, apesar do tempo não ter estado muito convidativo para a praia, ainda deu para uns mergulhos e umas boas braçadas naquelas piscinas de água salgada. A entrada é paga, mas as condições são bastante boas e está tudo bastante limpo. A piscina central é a maior, com uma profundidade considerável, ainda a atravessámos umas vezes e foi aí que me apercebi que estava mesmo em baixo de forma 😛 Correr não basta, há que nadar também 😛

Piscinas de Porto Moniz
Piscinas de Porto Moniz

Apesar da ilha não ter as dimensões de uma grande ilha como a Grã-Bretanha, as diferenças meteorológicas são notórias entre o sul e o norte da ilha, até em termos de paisagem a diferença é bastante grande. Uma ilha pequena mas com uma grande variedade. Na parte norte da ilha, onde estão as piscinas, o tempo é menos solarengo, e o mar bastante mais violento do que no sul. Tivemos alguma sorte com o tempo, mas como dá para ver na foto ainda apanhámos algumas nuvens, nada que nos impedisse de nos divertirmos bastante! O almoço foi também em Porto Moniz, fomos a um restaurante com vista para as piscinas onde comi peixe espada com banana (acho que assada), simplesmente divinal! Comer fruta com peixe para mim foi algo estranho, mas bastante saboroso, adorei e quando voltar vou ter de repetir! Para mim, grande parte da experiência de viajar é a comida, e mesmo sendo parte de Portugal claro que não poderia deixar de experimentar algo novo, foram vários os pratos tradicionais que comi, mas o peixe espada com banana foi mesmo o que me ficou melhor na memória 🙂

O plano original era dar a volta completa à ilha, mas decidimos voltar pela parte norte com mais calma e visitar outras zonas, fizemos imensas paragens para fotos e para nos deslumbrarmos com aquela paisagem de cortar o fôlego. A Madeira é uma ilha bastante acidentada, as escarpas metem bastante respeito e são parte da beleza mais comum da ilha. No regresso passámos por uma pequena localidade, chamada de Ponta Delgada (tal como nos Açores), a foto abaixo fala por si.

Ponta Delgada
Ponta Delgada

Infelizmente não deu para irmos a Santana, onde estão as tradicionais casas Madeirenses, o tempo não deu para tudo e acabámos por ter de cortar em algumas partes. Ainda assim, aproveitámos as nossas paragens para alguma brincadeira e por sugestão de um dos nossos amigos, experimentámos fazer Geocaching em vários pontos de paragem, bem divertido estarmos todos à procura de uma pequena caixinha para registarmos o nosso achado! Devo confessar que raramente me lembro do Geocaching quando viajo, mas é sem sombra de dúvidas uma ferramenta bastante interessante para conhecer alguns locais mais escondidos e menos conhecidos 🙂


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Na parte norte da Ilha da Madeira

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: