Ilha da Madeira – Machico e Funchal

Esta foi a minha primeira vez na ilha da Madeira, e fui para o casamento de uma amiga, mas como não poderia deixar de ser, deu para bastante turismo. Uma das coisas que me marcou mais foi a quantidade de túneis, tão criticados no continente, mas que marca a diferença entre alguns minutos e horas de viagem. Para quem vive lá tem um grande impacto. Ao contrário do que muitos pensam, os túneis não são um símbolo de desperdício mas sim uma necessidade. É mais uma daquelas coisas que é preciso estar lá para compreender.

Machico

Foi a primeira cidade onde estive, terra da minha anfitriã. Também a primeira povoação da ilha da Madeira, onde João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira chegaram e criaram o primeiro porto da ilha.

A paisagem é fenomenal, a cidade com um relevo bastante acentuado com estradas com uma inclinação assustadora, e mais a este, na zona do Caniçal, mais menos acentuado e com características bem diferentes e um aspecto mais desértico.

Algo que notei bastante, foi a quantidade de sardaniscas, segundo o que me contaram é uma espécie invasora que veio com as naus, e devido à falta de predador natural tornou-se um bocado como uma praga. Os gatos acabaram por controlar um pouco, mas é bastante frequente ver estes pequenos lagartos pela ilha toda.

Escarpas na zona do Caniçal
Escarpas na zona do Caniçal

Funchal

A capital do arquipélago foi curiosamente onde passei menos tempo, prefiro bem mais a natureza. Mas devo dizer que a vista é fabulosa! À noite então… O centro histórico é bastante acolhedor, como seria de esperar, com ruelas estreitas com casas antigas, e algumas pintadas com arte de rua. Como fui o último a chegar à ilha, do grupo para o casamento, perdi grande parte do turismo na capital. Não fiz a volta no teleférico nem fui ao ponto mais alto, mas fica para a próxima 🙂

Ribeira no centro do Funchal
Ribeira no centro do Funchal

Algo que gostei bastante de ver, mas que não experimentei, são os carros de cesto do Monte. 2Km em 10 minutos sempre a deslizar pela rua abaixo, um pouco caro, mas certamente uma experiência bastante interessante. Mais outra coisa que não experimentei, mas que talvez deva tentar um dia…

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: