Couchsurfing em Trikala e visita aos Mosteiros de Meteóra

Tanta coisa por contar que mal sei por onde começar, aliás, sei porque passei a viagem toda a escrever notas no meu bloco para não me esquecer de contar detalhe nenhum deste magnifico fim-de-semana!

Parece que nunca aprendo, quando fui a Thessaloniki apanhei o comboio da meia-noite e cheguei lá todo partido desta vez fiz a mesma coisa…, mesmo comboio mas com agravante, tive de trocar de comboio pelas 5:30 da matina…, por azar um velho sem reserva de lugar sentou-se ao meu lado logo no inicio da viagem (vendem bilhetes sem reserva de lugar, os comboios vão cheios de gente em pé) que deve ter colocado o repelente nele, mas repelente de pessoas tal não era o fedor…, roguei-lhe pragas por tudo quanto era lado…, aparentemente resultou pois quando foi ao WC outro gajo roubou-lhe o lugar! Resto da viagem mais tranquila! 😀

O comboio atrasou uma hora e meia, era suposto chegar pelas 4:00 à estação de transbordo (que não faço a mais pequena ideia do nome da estação mas também não me parece relevante), mas pelos vistos isto anda tudo sincronizado…, tive de ficar mais 50 minutos na outra estação à espera de um outro comboio para Trikala e mais coisas para contar… Já não me bastava o velho em parte da viagem, a sala de espera da estação também fedia a algo que felizmente nem consegui reconhecer…, e para ajudar à festa dois atrasados mentais começaram a fumar na sala de espera – o belo do respeito grego pelo próximo – mas vá lá, houve mais gente a sentir-se incomodada e eles lá tiveram de sair… Mas aqueles 50 minutos ainda foram mais longos do que isto, sala a feder, gajos a fumarem, esperar pelo comboio, estar cheio de sono, conforto? Nenhum! E ainda tivemos de gramar com um louco qualquer que estava a assobiar ao telefone, como se estivesse a gravar musica ou algo do género…, mais gente a reclamar e o senhor lá se justificou “estou ao telefone“, claro, porque é absolutamente normal estar a assobiar ao telefone às 5 da matina, aliás, é absolutamente normal estar a assobiar ao telefone sem haver mais qualquer tipo de diálogo…, deve ser algum dialecto que nunca ouvi falar…

Chegada a Trikala, a minha anfitriã foi simplesmente fenomenal! Foi-me buscar Às 6:30 ou 7:00 à estação de comboios, levou-me para casa dela para dormir uma pequena sesta antes de ir a Metéora e deixou-me de tal forma à vontade que quando acordei estava sozinho em casa! Esta confiança depositada nas pessoas é magnífica!

Voltei à estação de comboios para me dirigir a Kalambaka (cidade junto à zona de Meteora) e comprei os meus bilhetes de ida e volta, incrível como para uma viagem de ida e volta paguei 1,70€ e para tomar o pequeno almoço foram 4€…, viajar de comboio na Grécia é absurdamente barato! Ao chegar a Kalambaka a minha aventura mudou totalmente de rumo, inicio de um dos fins-de-semana mais fantásticos e fenomenais que alguma vez experienciei! Eu que pensava que já tinha visto um dos lugares mais fantásticos da Europa, e afinal ainda me consigo surpreender!

Para quem pensava que ia viajar sozinho novamente, decidi tentar abrir a mente e aumentar a probabilidade de divertimento. Assim que saí da estação de comboios fui ver se via alguma paragem de autocarros para os Mosteiros (ainda são uns quantos…), mas fiquei tão maravilhado com a paisagem que comecei logo a tirar umas fotos ao que me apercebo de um casal de Japoneses a fazerem o mesmo… Entretanto reparo que o taxista lhes está a sugerir a boleia e a informá-los que ou táxi ou a pé…, alí estávamos todos para o mesmo – Turistas! Como reparei que o Inglês deles não era do melhor, decidi oferecer-me para ajudá-los a falar com o taxista (como se eu percebesse muito do que eles dizem) e propus-lhes juntar-me a eles na viagem pelos Mosteiros, basicamente fui um colas com charme tuga 😀

Se eu pensava que tinha sido demasiado organizado no meu interrail, aquele casal então abusou…, até tinham mapa dos trajectos a pé entre os Mosteiros…, tinham tudo planeado ao segundo (não tenho paciência para contar as últimas semanas da vida deles, mas foi tudo planeado milimetricamente) e já tinham em mente ir até ao centro da vila para apanharem um taxi…, fui com eles. Taxi partilhado, viagem até ao primeiro Mosteiro (e único onde entrei a pagar),  Megalos Meteoros, aqueles monges viviam bem 😛 Paisagens brutais, ambiente bem acolhedor…, e em locais de bastante difícil acesso (na época eram mesmo inacessíveis, apenas por “cesto” e corda).

Um dos muitos Mosteiros de Meteóra
Um dos muitos Mosteiros de Meteóra

Aborrece-me estar a fazer upload de fotos para o blog, no entanto podem ver as fotos de Metéora no meu picasa enquanto elas não forem substituídas…, hoje adicionei mais 5 albuns, CS Meeting, Viagem a Egina, Ancient Korinthos, Mosteiros de Metéora e Trikala.

Andámos a passear pelas montanhas de mosteiro em mosteiro, mas não entrámos em nenhum pois é sempre a mesma treta lá dentro, foi mesmo para gozarmos daquela paisagem e ar puro. O dia foi todo a falar, falámos bastante das viagens deles, das minhas viagens, do que há para ver na Europa (eles estão numa Eurotrip versão flash), do que há para ver no Japão – Elma, se quiseres dicas já sabes a quem pedir 😛 – foi uma tarde bastante bem passada com um casal desconhecido! Não faltam fotos a comprovar isso 😛

O contacto com a Natureza é algo que me fascina imenso, e estar num local onde a diversidade é tão fantástica então deixa-me em estado criança, fartei-me de tirar fotos a duas águias que andavam a rondar-nos mas elas são tão rápidas que mal as conseguia focar…, ainda tentei algumas vezes e acho que só uma foto se aproveita 😡 Voltei a ver cabras da montanha, mas desta vez era ainda um grande rebanho! Isto mesmo junto a um dos Mosteiros, o último que fomos ver. Neste último Mosteiro acabei por entrar, queria apenas ir ao WC portanto deixaram-me entrar sem pagar…, o interessante é que o WC é na outra ponta do Mosteiro e do lado de fora do mesmo, tive de ir mesmo ao quintal do Mosteiro para ir ao wc 😡 Claro que uma vez lá, aproveitei para tirar fotos que nem um animal! A paisagem sobre Kalambaka é abismal e foi certamente o melhor spot que encontrei para tirar fotos sobre o vale todo!

Agora o que realmente me surpreendeu nos Japoneses…, por diversas vezes disse “amazing” ou “unbelievable” pois a paisagem de facto merece elogios destes…, ao que eles me ensinam como se diz isto em Japonês – Segoí (pelo menos foi assim que me soou), lá juntei mais uma palavra ao meu léxico Português – Japonês…, já conto com 4 palavras 😛 Para não me esquecer, saquei do PDA e escrevi a palavra no bloco de notas (estilo tinta), portanto parecia mesmo que estava a usar uma caneta para escrever num aparelho daqueles…, reparei que eles começaram a rir e perguntei-lhes o que se passava. Eles não sabiam o que é um PDA! Um casal do país da tecnologia não sabe o que é um PDA mas têm dinheiro para virem passear para a Europa? :O Fiquei totalmente abismado com aquela informação!

Depois do último Mosteiro, decidimos seguir por um trilho que indicava dar a Kalambaka, trilho bem estreito, inclinado mas bem porreiro! Divertimo-nos imenso até chegarmos a Kalambaka e estávamos tão satisfeitos com o dia pelos Mosteiros que nem nos sentíamos cansados…, ao chegar a Kalambaka os Japoneses foram a um supermercado atulharem-se em Ouzo para levarem de souvenir, mas não foram nada meigos…, tendo em conta a quantidade de garrafas…, depois disso fomos para a estação, já bastava de andanças e apesar de não nos sentirmos cansados não devia faltar muito para o corpo se ressentir (nem me consigo mexer aqui no escritório…).

Já na estação, eles perguntaram-me o que poderiam ver na Grécia e o que deveriam comer/provar tipíco cá…, eu como adoro tzatziki, foi logo a primeira recomendação, depois ainda lhes falei das saladas Gregas, das bebidas, de outras comidas e afins…, entretanto uma rapariga no banco ao lado apercebeu-se da conversa e perguntou se se podia juntar a nós (deve ter sido o dia em que tive mais momentos expontâneos de sociabilização dos últimos meses :P), Austríaca 😀 Grupo totalmente internacional 😛 Em conversa calhou a compararmos os livros de turismo de ambos…, a Austríaca apenas tinha um livro inteiramente dedicado à Grécia que curiosamente ainda conseguia ser maior do que o livro dos Japoneses dedicado à Europa Toda!!! Deu para rir bastante, ainda tirei duas fotos à secção de Portugal no livro deles, agora já sei como se escreve Portugal em Japonês 😀 Depois disso, viagem de comboio…, eu só uma estação enquanto eles voltaram para Atenas.

Metéora com casal Japonês
Metéora com casal Japonês

Já agora…, para a Elma não me espancar (está farta de reclamar comigo que este post vai ser uma seca), aqui fica uma foto que mostra o casal de Japoneses 🙂 Não é uma foto fantástica, mas não quero dar cabo da surpresa 😛 Vão ver o picasa 🙂

Quanto à noite, foi mais tranquila, Trikala tem uma vida nocturna bastante porreira e adorei o bar onde estivemos, algo estilo tapas em que nos iam dando batatas, legumes (pepino, cenoura, azeitonas e afins), mini-tostas-mistas e molho e afins enquanto íamos bebendo as nossas cervejas. Fiz couchsurfing em Trikala, mas a parte engraçada é que estive com amigos do meu colega de casa, como o mundo é pequeno! Diverti-me imenso nessa noite, mas estava tão estafado que não aguentei muito mais do que a 1:30…

No dia seguinte acordei em fase de total anhanço, não dava para muito…, mas a minha host acabou por insistir para eu saír de casa, para aproveitar a cidade. Para ser sincero, não tinha expectativas nenhumas quanto à cidade, mas acabou por se revelar uma cidade bastante interessante para ver. Tentei (e consegui) perder-me pelo meio da cidade, andei na parte velha a tirar bastantes fotos (uma delas que vim a saber que é uma perspectiva bastante conhecida de Trikala), fui ao castelo e depois decidi ir almoçar a casa da minha host, ela convidou-me 😛 Não sou assim tão penetra 😛

A tarde revelou-se ainda mais fantástica, ela levou-me a uma zona perto de Trikala, Pyli, disto é que não contava mesmo! Fiz a viagem a contar com Metéora, estava mentalizado para ver paisagens fantásticas mas era só…, não esperava ver o que vi naquela zona! Segundo a história que ela me contou, aquele vale há muitos milhares de anos foi um lago gigante que se “rompeu” naquela zona.

Pyli
Pyli

A cadeia montanhosa faz um rasgo de tal forma brutal ali que eu fiquei sem falar uns bons segundos a observar aquela paisagem, imaginem o que é uma planicíe enorme e depois uma montanha elevar-se com uma agressividade parva e a uma altura bastante considerável, sem haver qualquer tipo de relevo progressivo até lá, e no meio dessa cadeia haver um vale em V que vem mesmo até ao nível da planície. Não consigo descrever melhor que isto, e pior ainda é que fiquei tão parvo com aquela paisagem que nem tirei fotos à cadeia montanhosa à distância, apenas quando cheguei lá.

Aqui fica uma foto já dentro do vale, não dá para ter noção da grandiosidade daquele vale, ficam apenas com a minha palavra de que é algo mesmo fantástico! A voltar com amigos um dia, certamente!

Após isso, rumo a Atenas novamente 🙁 Assim que chego à estação de comboios apercebo-me que deixei a minha toalha de banho em casa da minha host…, já comecei a deixar “rastos” por onde ando a passar 😛 Um pouco de cheiro a Gil 😛

A parte realmente porreira neste fim-de-semana todo foi a previsão meteorológica, era suposto chover bastante na zona de Trikala Sábado e Domingo…, mas como dá para ver pelas fotos foram dois dias fantástico, o Sábado então estava com o céu totalmente azul! No entanto…, quando cheguei à estação de comboios começou a chover 🙂

Pela primeira vez fiz a viagem de comboio do centro da Grécia durante parte do dia, as outras vezes foi sempre de noite e nunca tive a noção do que andava a perder…, é uma zona realmente fenomenal para se fazer um interrail também, o comboio passa por zonas totalmente selvagens e a linha chega a andar mesmo à beira de penhascos com uma paisagem brutal! O comboio mesmo no topo da serra e a vermos tudo o que está à volta, só mesmo fazendo esta viagem para ver!

No meio de tanto texto, acho que deu para perceber que este fim-de-semana foi realmente inesquecível…, espero que venham mais assim 🙂 Definitivamente, Grécia é bem mais do que ilhas!


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Couchsurfing em Trikala e visita aos Mosteiros de Meteóra

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

One thought on “Couchsurfing em Trikala e visita aos Mosteiros de Meteóra

  • Maio 22, 2009 at 10:09 pm
    Permalink

    Olá Gil Sousa,

    tudo bem?
    Eu vou à grécia este verão.
    Quando custa o bilhete de comboio para meteora?
    É necessário reservar ou comprar antes?
    É que também eixste um autocarro.
    Obrigado

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: