No centro histórico de Mostar

O primeiro impacto de Mostar foi logo à chegada, passámos por uma montanha e ao descer vê-se logo a cidade, que não é muito pequena. No entanto, o centro histórico é, dá para o “ver” numa tarde, mas acho que é preciso bem mais do que isso para aproveitar o tempo melhor.

Depois de um dia inteiro dentro de um autocarro, já só sonhava com um bom duche, nem jantar nem copos, mesmo um duche para refrescar! E foi mesmo isso que fiz assim que cheguei à pousada! Pedi algumas dicas sobre a cidade, e tal como já esperava, tudo se baseia no centro com algumas sugestões mais para fora da zona histórica, tal como a Estátua do Bruce Lee (que não cheguei a ver), então fui dar a primeira volta de reconhecimento e fui para o local com a melhor vista para a ponte, um miradouro junto à Mesquita. O problema é que é a área de um café, e para podermos tirar fotos temos de consumir…, não que fosse um problema, mas até compreendo quererem evitar muitas pessoas sentarem-se sem consumirem nada apenas para aproveitarem a paisagem, que é bem bonita.

O jantar foi num restaurante que me sugeriram no hotel, mesmo junto à ponte e a caminho do rio, o ambiente é fantástico, cheio de esplanadas e mesas na rua para aproveitar as noites de Verão. O estilo árabe está presente por todo o lado, a influência islâmica é muito forte e em mistura com o estilo europeu dá uma sensação bem agradável de exótico com familiar. Ainda dei umas voltas pelo centro, apenas de reconhecimento, mas acabei por voltar para o hotel para descansar e poder aproveitar o dia seguinte devidamente. Já em relação ao hotel, a localização é excelente, bem perto do centro histórico e confortável, no entanto acho que tive algum azar com o quarto onde fiquei, apenas conseguia ter internet estando encostado à porta do quarto…, mas pronto, não foi grave.

No dia seguinte lá me levantei cedo e comecei a deambular pela cidade antiga, que como seria de esperar é bem turística com lojas de recordações por todo o lado. E apesar de a moeda local ser diferente, aceitam euros com frequência a uma taxa de cambio de 1:2, por vezes até o troco foi uma mistura de moedas o que torna as coisas ligeiramente confusas, mas com uma taxa de conversão tão simples é fácil ver quanto estamos a receber de volta.

Ponte de Mostar
Ponte de Mostar

Acho que passei pelas mesmas zonas vezes sem conta, e como estava um dia tão quente, claro que não poderia deixar de ir até à beira do rio e molhar os pés, em água bem gelada! Uma das maiores desvantagens de viajar sozinho é em momentos como estes, em que queremos dar um mergulho e temos coisas de valor connosco. Acabei por não entrar mesmo dentro de água, sempre com a preocupação nas minhas coisas, apenas molhei os pés e sentei-me nas rochas por um bom bocado a aproveitar do momento. Uma das atrações turísticas da ponte é ver os membros do clube de salto saltarem da ponte para o rio, a altura ainda é considerável e conhecida internacionalmente devido à Red Bull. É giro de ver, mas acaba por chatear um pouco quando esperamos que alguém salte por mais de 15 minutos, devem ter alguma quota minima para saltarem e continuam a pedir doações até terem essa quantidade antes de poderem saltar…, foram muitos poucos os mergulhos que vi, e sempre do mesmo estilo, alguém a preparar-se para saltar durante vários e longos minutos, enquanto os outros pedem doações. Enfim, é uma forma de negócio para o clube.

A ponte é considerada como Património da Humanidade pela UNESCO, no entanto a ponte como a vemos hoje é algo recente devido à guerra dos Balcãs, foi reconstruída após a guerra sendo agora um símbolo de reconciliação. Para quem a for visitar, deixo o alerta de que não é fácil andar na ponte, as pedras (julgo que de mármore) são extremamente escorregadias e algo inclinado, não é fácil andar de havaianas 🙂 E eu passei por lá várias vezes, sei bem o que custa descer e subir com havaianas…

A ponte é sem sombra de dúvidas o ex-libris da cidade, quase tudo está relacionado com a ponte de alguma forma, mas as marcas da guerra estão também bem presentes, afinal de contas é bem recente, não é uma guerra do tempo dos nossos pais mas sim do nosso tempo. Saindo um pouco do centro histórico, e vemos as marcas das balas em paredes de edifícios meio degradados, até as recordações são de balas recicladas. É um facto de que o local é bem belo, e não falta história para viver naquelas ruas, mas não só é uma história dos antepassados como também o é de quem ainda lá vive, vale bem a pena passar por Mostar e sentir aquele ambiente, falar com os locais e conhecer um pouco mais do que os edifícios têm para mostrar.

Noite em Mostar
Noite em Mostar

Como chegar a Mostar

De Zagreb, a forma mais directa e barata é sem dúvida por autocarro.

De Sarajevo, recomendo a irem de comboio, é uma viagem simples e mais confortável, no entanto têm a opção mais barata que também é de autocarro.

De Kotor, a minha recomendação é via transfer entre hosteis, algo que me falhou nas pesquisas antes da viagem.

Obviamente também existem opções directas de Zadar e Dubrovnik, na Croácia, todas estas cidades são bem populares e bem interligadas.


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

No centro histórico de Mostar

Gil Sousa

Português emigrado em Cork, viajante e apreciador de boa comida.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: