O que levei na mala para Cuba?

Depois de mais uma viagem, está na hora de fazer uma pequena análise do que levei na mala para Cuba e como a preparei para a viagem. É um exercício que tenho feito com alguma regularidade, e parecendo que não acabo por aprender sempre algumas coisas novas sobre a forma como me preparo.

Continuar a ler “O que levei na mala para Cuba?”

Análise de 2018 e Planos para 2019

Antes de começar com as análises de 2018 e fazer os planos para 2019 convém começar pela parte mais importante! Votos de um excelente Natal e um 2019 bem melhor que 2018!

Estamos a chegar ao final de mais um ano, e como já vem sendo hábito, aqui vem também mais uma análise anual!

Continuar a ler “Análise de 2018 e Planos para 2019”

O que visitar em Ohrid na Macedónia

Muito mais do que uma cidade na República da Macedónia (ou Antiga República Jugoslávia da Macedónia), Ohrid é Património Mundial da UNESCO! O que não falta são coisas em que visitar em Ohrid, é viver e respirar história numa cidade lindíssima.

Continuar a ler “O que visitar em Ohrid na Macedónia”

Edimburgo à noite, lendas de meter medo

Quando se visita uma cidade com tanta história como Edimburgo, vale bem a pena investir um pouco mais de tempo e tentar aprender um pouco mais. A cidade é linda só por si, uma excelente cidade para explorar a pé e tirar algumas centenas de fotografias. Mas também vale bem a pena fazer algumas das excursões a pé. Algumas são pagas, outras são grátis. Nós fizemos uma das grátis, que no final damos o que acharmos que vale a pena dar, há quem nada dê…, mas não acho que seja justo fazer tal coisa.

Continuar a ler “Edimburgo à noite, lendas de meter medo”

Curiosidades sobre a República da Irlanda

Comecemos por dar a resposta à primeira pergunta que alguns de vós pode estar a fazer neste momento. Porquê especificar que se trata de uma República no título do artigo?  Porque a Irlanda é uma ilha dividida por dois países. A República da Irlanda, que descrevo neste artigo, e a Irlanda do Norte que faz parte do Reino Unido.

A história desta divisão é muito conturbada, e já vem de há muitos anos, com lendas à mistura. Mas é algo que é importante ter em conta quando se visita a ilha. Em que numa parte se usa o euro, mas na zona Nordeste se usa a libra esterlina… São pequenos detalhes que podem fazer a diferença entre poupar alguns trocos…

Continuar a ler “Curiosidades sobre a República da Irlanda”

10 locais incríveis que visitei na Grécia

Nos seis meses em que vivi em Atenas tive a oportunidade de conhecer muitos locais incríveis na Grécia. Quando sabemos que a nossa permanência num país é limitada a tendência é a tentar aproveitar ao máximo cada minuto livre. E acho que soube fazer isso muito bem.

Foram muitos os locais que visitei na Grécia, e para ser sincero, apaixonei-me completamente por aquele país. Foi complicado definir uma lista de 10 locais, dou garantia de que é facílimo uma pessoa se deslumbrar pela Grécia.

Continuar a ler “10 locais incríveis que visitei na Grécia”

O que visitar na ilha Fraser na Austrália?

Quando viajamos, há sempre alguns locais que nos ficam na memória seja pelos bons momentos, pelas paisagens ou só pela experiência em si. A minha experiência na ilha Fraser foi uma combinação de tudo o que são boas memórias. Foram três dias numa ilha bastante especial na costa Este da Austrália. Um dos locais mais únicos da Austrália, e como tal bastante turístico.

Continuar a ler “O que visitar na ilha Fraser na Austrália?”

Curiosidades e Roteiros da Alemanha

A Alemanha foi o primeiro país em vivi fora de Portugal, foi uma experiência única que já citei vezes sem conta neste blog. E uma experiência que me mudou como pessoa, e me fez ficar (ainda mais) apaixonado por viagens.

Muito pouco sabia sobre este país quando me mudei para lá, aliás, nem sequer tinha pesquisado nada sobre a cidade. Mudar-me para uma cidade e país de que sabia muito pouco foi uma aventura bem atípica para o “eu” da altura, mas que me abriu os horizontes para outras viagens, e até mesmo para conhecer o meu próprio país.

Continuar a ler “Curiosidades e Roteiros da Alemanha”

Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro

Este é um daqueles artigos que mais demorei a escrever, faz em Junho três anos desde que cruzei a fronteira de Montenegro com a Albânia com destino à Republica ex-Juguslava da Macedónia, e o motivo de ter demorado tanto tempo até escrever este artigo é bem pessoal, uma experiência de viagem que não desejo a ninguém.

Continuar a ler “Viajar de Montenegro até à Macedónia de autocarro”

Derry/Londonderry, uma cidade dividida entre dois países

Recentemente fui a uma cidade no norte da Irlanda, Derry, e apercebi-me que ainda existe muitas dúvidas quanto às “Irlandas”. A confusão tem alguma justificação, afinal de contas existem três Irlandas. E com isso, muitas pessoas fazem confusão entre as três. Sim, três! Não uma, não duas, mas sim três!

Mas como?

Continuar a ler “Derry/Londonderry, uma cidade dividida entre dois países”

Percorrer o Circulo Dourado na Islândia de carro

Ir à Islândia é um sonho de muitas pessoas, e por muitas e boas razões. Principalmente pelas paisagens de tirar o fôlego e das paisagens quase intactas que deixam qualquer um de boca aberta. Mas não só, também aquela mística toda à volta de um país cheio actividades naturais únicas que para o comum dos mortais, nós, são apenas parte do nosso imaginário. Como os vulcões, as auroras boreais e o sol da meia-noite. Mesmo para quem tem poucos dias para visitar, o Circulo Dourado é uma pequena rota bem perto da capital e fácil de visitar. Continuar a ler “Percorrer o Circulo Dourado na Islândia de carro”

Vídeo pelos Lagos Secretos de Byron Bay a Nimbin

Nimbin foi um daqueles locais que visitei na Austrália que nem sequer fazia parte dos meus planos, algumas pessoas sugeriram-me a visitar, mas o tipo de turismo não me interessou nem um pouco. Mas planos mudam, e por vezes somos forçados a fazer coisas que não estavam nos planos. Desta vez quem me forçou a mudar os planos foram os ventos, um tufão naquela zona do Pacífico que causou destruição por onde passou, mas que felizmente não chegou à Austrália. No entanto, os ventos fortes fizeram que várias actividades fossem canceladas, tais como o passeio de kayak para ver golfinhos e baleias que tinha marcado para Byron Bay. Então lá tive por procurar um plano alternativo…

Estes lagos (não tão) secretos fazem parte de um passeio organizado por uma empresa que simplesmente leva os mochileiros a passear até Nimbin com algumas paragens pelo caminho. Supostamente cada viagem é diferente, os locais de paragem nem sempre são os mesmos, e com a quase garantia de que teremos estes sítios só para nós. O divertimento foi garantido, nadámos debaixo de cascatas, demos imensos pontapés em rochas por não conseguirmos ver o fundo de tão turva que a água estava, mas depois fomos bem compensados com um lago com uma água tão azul como nunca vi! Saltámos, nadámos e rimos imenso! O vídeo fala por si!

A viagem de Byron Bay a Nimbin ainda demora cerca de uma hora e meia, o que na Austrália até é bastante perto…, visitar a vila é uma experiência certamente diferente, mas ir propositadamente de Byron Bay a Nimbin não tem grande interesse, bem melhor aproveitar para fazer algumas paragens pelo meio para refrescar como se vê no vídeo. Acabou por ser um dia bem diferente do que tinha planeado, mas que me diverti imenso e que me ficou como uma excelente recordação da Austrália.



Booking.com


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Vídeo pelos Lagos Secretos de Byron Bay a Nimbin
Vídeo pelos Lagos Secretos de Byron Bay a Nimbin

GuardarGuardar

GuardarGuardarGuardarGuardar

Arequipa, uma cidade encantadora no sul do Peru

Acordar cedo em Arequipa…, é um pouco estranho escrever o mesmo todos os dias das minhas férias, que tipo de férias são estas em que uma pessoa acorda cedo todos os dias? Ah, pois…, jet lag…, sendo assim, voltámos à creparia para tomar o pequeno-almoço, e depois disso, fomos às compras! Recordações e outras tralhas de que nada servem!

Carros antigos
Carros antigos

Tentámos ir a um museu, mas se não estou em erro, teríamos de esperar cerca de uma hora para a próxima visita guiada, como tal decidimos passar à frente e fomos visitar um convento, o Convento de Santa Catarina, que lugar lindo! Uma vila autêntica no meio da cidade, mas em claustro… Hoje em dia é essencialmente um local turístico com apenas algumas freiras a viverem lá dentro, mas a sua história é bem interessante e vale a pena ler um pouco mais sobre o convento, mas claro, sem dispensar uma visita!

Convento de Santa Catarina - Vista de uma janela
Convento de Santa Catarina – Vista de uma janela

Almoço, e mais uma vez no restaurante árabe! Dois dias consecutivos a comer nos mesmos sítios, e em ambos os dias comemos comida “não-peruana”…, mas mesmo muito boa! Depois disso fomos dar uma caminha pelo centro da cidade, com um excelente gelado para arrefecer a temperatura. E mais uns momentos “de gaja“, encontrámos um mercado de coisas em segunda mão bem engraçado, e bastante barato para os preços praticados na Europa.

A nossa passagem por Arequipa estava mesmo no fim, estava na hora de apanhar um taxi e irmos para o aeroporto, e nós a pensarmos que a aventura já estava a terminar…, há sempre alguma coisa que pode acontecer nos aeroportos 🙂 A começar pela revista manual da nossa bagagem, e quando digo “manual”, foi literalmente assim. Abriram-nos a bagagem, e começaram a mexer na nossa roupa suja, até roupa interior…, mas apenas por uns segundos, que depois desistiram. Depois disso, descobrimos que afinal o preço do bilhete não incluía tudo…, ainda tivemos de pagar uma taxa aeroportuária. O QUÊ??? Quase 10 Novos Soles Peruanos! E depois, claro, tivemos de esperar que abrissem as portas de embarque…

Convento de Santa Catarina - Vista de um telhado
Convento de Santa Catarina – Vista de um telhado

E quando finalmente anunciaram as portas de embarque, tivemos de passar pelo raio X. E mais trapalhadas aconteceram 😀 O Ramón exagerou imenso na bagagem, e só para as recordações ele tinha um saco enorme, e uma dessas recordações acusou no raio X 😀 Ele teve de desfazer a mala toda, apenas por causa de uma pequena peça que apenas serve para colecionar pó 😀 Ah, esse momento foi captado em vídeo 😀 Depois disso, só tivemos de esperar pela descolagem…

Pôr-do-sol no aeroporto de Arequipa
Pôr-do-sol no aeroporto de Arequipa

De volta a Lima, e de volta ao mesmo hostel. Tinha-me esquecido do quanto eles nos roubaram da outra vez com o taxi “agendado”, e mais uma vez, por nos termos esquecido disso, 30 soles… E se isto não fosse suficientemente mau, ainda tivemos de pagar com antecedência. Foi o único hotel durante a nossa viagem toda que nos obrigou a pagar com antecedência. Ah, fiquei tão aziado! Ainda para mais, dormi terrivelmente mal, demasiado calor, cama má, e afins…



Booking.com


Gostou do artigo? Adicione-o ao Pinterest!

Arequipa, uma cidade encantadora no sul do Peru
Arequipa, uma cidade encantadora no sul do Peru

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Análise de 2017 e Planos para 2018

Como já vem sendo hábito, todos os anos faço uma pequena análise de como correu o ano, e estipulo alguns objectivos para o ano que vem aí. Mesmo quando o blog anda quase parado, é um artigo que faço questão de escrever todos os anos, e que me ajuda a reflectir nas coisas que correram menos bem, e por vezes até ajuda a recuperar a fé quanto ao estado do blog, e ainda fazer uns planos para 2018.

Uma das técnicas que uso para reflectir no ano que está a terminar é olhando para os meus álbuns de fotografias, se há coisa que tenho mantido sempre constante é este gosto pela fotografia, e olhando para os vários destinos que visitei, fico com uma ideia de como o ano me correu. Depois, olho para o artigo do ano anterior, e vejo que objectivos estipulei… Assim só por alto, até já me dá medo de escrever a análise deste ano…

Here we go again! 1/2 flights!

Uma publicação partilhada por Gil Sousa – Travel blogger (@gfpsousa) a

Análise de 2017

Começando pelos objectivos que tinha definido…

Escrever todos os artigos pendentes sobre viagens passadas

Só de olhar para a imagem abaixo, quase que nem é preciso de afirmar que falhei miseravelmente com este objectivo… Mas é um objectivo a ajustar para 2018. Mas mais abaixo dou mais detalhes sobre como pretendo fazer isto.

Artigos a escrever
Artigos a escrever

Escrever para uma revista ou publicação de renome

E nope…, não aconteceu…, nem me esforcei por isso… E nem será um objectivo para 2018. É algo que não acho que seja praticável neste momento, e o blog não tem tido o dinamismo que seria necessário para poder causar um impacto ao ponto de uma revista ou publicação considerar um artigo meu. Talvez num futuro mais distante.

Mudar para uma nova cidade, de preferência noutro país

Bem, isto não aconteceu. Mas esforcei-me imenso para concretizar este objectivo. Acho que já esteve mais longe do que pensava, e estive bem perto de tornar este sonho uma realidade. Continua a ser um objectivo, duvido que o consiga concretizar para 2018, por motivos pessoais, mas é um objectivo para o qual continuo bem focado. Aliás, um dos motivos a que me levou a desleixar-me tanto com o blog, foi mesmo a dedicação em concretizar este objectivo.

Ir a algum sitio diferente uma vez por mês

Até me tinha esquecido deste objectivo, mas vou revê-lo mais abaixo com a minha análise sobre o que aconteceu em cada mês. Neste preciso momento, em que estou a escrever esta linha, não faço a mais pequena ideia se consegui concretizar este objectivo. Mas caso não o tenha feito, será certamente um objectivo para 2018 e nas mesmas condições, seja Irlanda ou fora, mas pelo menos um fim-de-semana por mês devo ir a algum lado.

E agora, para 2017, o desafio é ser bem melhor que 2016!

Bem, não sei se foi ou não, mas certamente que foi bem diferente. 2016 foi um ano repleto de viagens, fui à Austrália e à Islândia, e dificilmente conseguiria igualar um ano como esse. Mas este ano fui aos Estados Unidos da América, e visitei alguns dos Parques Nacionais que mais queria conhecer!

A nível pessoal também foi um ano cheio de emoções, muito aconteceu na minha vida pessoal (que não quero aqui detalhar), e que em muito afectou tanto a minha personalidade como as minhas ambições. A nível de viagens, fiquei ainda com mais certezas de que me quero mudar para outro país e até já tenho um plano delineado, mas da teoria à acção ainda vai uma grande distância. Mas para já, sei que tenho a sorte de ter muito apoio para a aventura que quero viver.

That face you see here isn’t joy, maybe it is, I love these kind of things, but this would be much better if I had planned or at least researched a bit before visiting this amazing place. The hike through The Narrows at #zionnationalpark is quite tough but really cool, most of the “trail” is like this, you walk through the river and you get properly wet! Now imagine a stony river bed, and a unprepared guy doing this barefoot? Of course I couldn’t do the whole trail, it’s expected to take over 8 hours, but I did almost a mile (maybe a bit more) like this! It’s really cool, a bit painful, but I don’t regret for a second this experience! Tomorrow I’ll go back for another hike and more photos, hopefully via a smoother way 😊

Uma publicação partilhada por Gil Sousa – Travel blogger (@gfpsousa) a

Resumo de 2017

Tal como disse antes, este ano nem se compara a 2016 no que respeita a viagens, no entanto não foi tão mau quanto pensava. Durante o ano todo fui adiando a marcação de viagens, sempre com o objectivo de me mudar para outro país. Este objectivo dominou de tal forma o meu ano que acabei por perder o foco, entre muita pesquisa e algumas entrevistas (muitas apenas com o objectivo de praticar e aprender algumas técnicas), acabei por me descuidar e fui ficando com vários dias de férias por usar. Nem parece meu, eu sei…Análise de 2017 e Planos para 2018

Em Janeiro comecei logo o ano com uma viagem na Irlanda, bem perto de Cork, fui visitar uma cascata bem bonita e completamente no meio do nada. Aliás, tudo na Irlanda parece ser no meio do nada, que na verdade é o que dá tanto charme a este país.

Fevereiro foi mês de visitar a família, numa visita surpresa. Chegar bem tarde a casa dos meus pais, e quase lhes dar um ataque de coração ao lhes bater à porta já bem depois da meia-noite! Não fui em passeio, aproveitei para visitar alguns amigos e familia, enquanto trabalhava a partir de casa. Mas esta surpresa também me ia saindo cara, fui com os meus sobrinhos, e no regresso à Irlanda não queriam aceitar a documentação que tinha comigo. A parte boa, é que a segurança aeroportuária em Portugal está a funcionar bem! Lá tudo foi esclarecido, e conseguimos embarcar.

Em Abril uma oportunidade surgiu, e uma viagem caiu-me ao colo! Fui em trabalho aos Estados Unidos da América, e claro, também aproveitei para tirar férias! Foram apenas duas semanas, mas explorei vários Parques Nacionais, e visitei locais que só conhecia por fotografias. E acreditem quando vos digo, o Grand Canyon não é NADA do que se vê em fotos…, é de tal forma surreal que não há fotografia que consiga captar o que os nossos olhos conseguem ver. Fiquei abismado com o que vi, e só lá estive algumas horas. É certamente um local a regressar, e espero com muito mais tempo para explorar alguns recantos menos conhecidos daquele Parque Nacional tão único.

Regresso à Irlanda já em Junho, e fiquei parado durante vários meses, até me aperceber que estava a chegar ao final do ano e ainda com três semanas de férias para usar! O que decidi fazer? Concretizar um sonho, regressar a Dresden no meu 10º aniversário desde que me mudei para lá em Erasmus! E com as restantes duas semanas? Cumprir com um objectivo que já tinha desde que fui para a Austrália. Curso de mergulho! Não fiz o mergulho na Islândia porque não tinha este curso, mas agora já estou qualificado para tal. Para quem gosta deste tipo de aventuras, recomendo vivamente! Fiz o curso há umas semanas, já em Dezembro, e em Portimão. O facto de ser Inverno não ajudou muito, mas a água nem estava assim fria. Pena ter sido dois dias depois da tempestade, e isso ter afectado imenso na visibilidade debaixo de água… Mas é certamente um local a regressar, e a explorar ainda mais.

Planos para 2018

Visto que o foco desta análise é principalmente no que respeita ao blog, os planos para 2018 serão bem definidos e, acima de tudo, quantificáveis. Porquê planos quantificáveis? Porque se torna bem mais fácil de analisar no decorrer do ano, e porque é uma forma bem directa de perceber quando as coisas estão a correr mal.

Um artigo a cada duas semanas

Durante muito tempo consegui manter uma periodicidade de um artigo semanal, não foi nada fácil e até senti que prejudicou a qualidade da minha escrita. Nessa altura decidi acabar com essa periodicidade e focar-me na qualidade. Resultado? O blog ficou quase parado… Um artigo a cada duas semanas é relativamente possível de cumprir, e com isso irei mesmo criar um calendário editorial para me manter focado.

Artigos de convidados

Este é um dos focos que tenho para 2018, aceitar (e pedir) colaboração de artigos. O meu objectivo quantificável? Um a cada dois meses! Porquê tão poucos? Porque é a primeira vez que estou a criar este objectivo, e ainda não sei bem como isto se irá desenrolar, mas um artigo convidado a cada dois meses parece-me perfeitamente possível.

Editar/Reciclar dois artigos antigos por mês

É algo que tenho andado a fazer já há bastante tempo, vou revendo artigos antigos e vou actualizando as imagens, ortografia e afins. Agora passa a ser um objectivo quantificável para 2018, rever dois artigos por mês é bastante pouco, muito provavelmente até irei fazer bem mais do que isso, mas decidi colocar a fasquia bem em baixo, porque isto dá bem mais trabalho do que parece!

Auditoria SEO

Este objectivo não é quantificável, mas é bem necessário. Durante o mês de Janeiro irei fazer uma auditoria SEO ao blog, e ver o que posso melhorar. E durante o resto do ano, vou-me focar em melhorar os pontos que estão em falta.

Para ajudar a cumprir com estes objectivos todos, vou adicionar ao meu calendário editorial uma tarefa trimestral para reler este artigo e tentar me manter na linha…

A nível pessoal também tenho planos para 2018, mas desta vez espero que não me desviem do foco do blog. São mesmo muitos artigos que tenho para escrever, e apesar de viagens nunca ficarem desactualizadas, começa a perder um pouco a piada escrever sobre algo que aconteceu há dois anos, mas é algo que quero mesmo fazer e desta vez vai mesmo ter de ser!

E vocês, também fazem análises de como correu o vosso ano?

GuardarGuardar